semana negro

Várias personalidades estiveram presentes, como a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Selma Alves Mello, o diretor de Cultura, Pitt Dias  e o chefe da Guarda Civil Municipal  Reginaldo Aparecido Izaias.

A semana iniciou, na segunda-feira, dia 17, com palestra do cientista social e professor, José Ricardo Marques e a pedagoga Silvia Seixas, com tema Mito da Democracia Racial, na Casa de Cultura.

Hoje terça-feira, dia 18, tem o imperdível debate com o Coletivo Negro da Unesp e professores da rede municipal de ensino, quando o tema será a Lei 10.636/2003. Lei torna-se obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares. A argumentação ocorre no auditório da Secretaria de Educação a partir das 18h.

Amanhã quarta feira, dia 19, a semana prossegue com cine debate, com o diretor de comunicação, Alex Queli Tomé. Ele que é graduado em Comunicação Social, especialidade audiovisual, pela Ufiscar, apresenta, para a conferência o filme, “Quanto vale ou é por quilo?”, vencedor do prêmio Kikito, no Festival de Gramado.

O encontro ocorre às 8h no Cerea. O mesmo local às 14h abriga o debate com Coletivo Negro da Unesp e a cientista social Neusa Marcondes que trata da Empregabilidade e Identidade Negra.

E, findando o dia, a partir das 19h30, ainda no Cerea tem a palestra com a médica cubana, Yudisleidy Ramirez Glean que aborda o tema Anemia Falciforme e Hipertensão, doenças as quais comunidade negra brasileira está mais predisposta a desenvolver.

semana negroA