O prefeito José Eduardo Coscrato Lelis, acompanhado do diretor financeiro da prefeitura e interventor da Santa Casa, Márcio José Bento, concedeu entrevista coletiva para a imprensa guairense na tarde desta quarta-feira, dia 31, para falar da situação financeira do hospital e as medidas que estão sendo adotadas para a solução dos problemas.

Conforme previsto na legislação, à partir desta data a intervenção na Santa Casa passa a ser por tempo indeterminado, uma vez que dentro do quadro de associados da instituição nenhuma pessoa se ofereceu para assumir a provedoria do hospital.

A entrevista serviu para o Chefe do Executivo dar transparência à situação do hospital e também as ações que estão sendo adotadas pela administração municipal. Todos os dados levantados foram enviados para conhecimento dos órgãos de controladoria como o Ministério Público local e o Tribunal de Contas do Estado.

 Na coletiva, José Eduardo passou os valores da dívida consolidada do hospital, que atinge a cifra milionária de R$ 5,358.000,00. As dívidas do hospital cresceram vertiginosamente durante a gestão anterior da prefeitura, que indicou os ocupantes da provedoria da instituição.

De acordo com o Chefe do Executivo a dívida total está dividida da seguinte forma:

  R$ 1.197.000,00 – Fornecedores;

  R$    590.000,00 – Médicos;

  R$    850.000,00 – Encargos trabalhistas (FGTS, etc);

  R$ 1.575.000,00 – Tributos;

  R$ 1.828.000,00 – Empréstimos de médio e longo prazo;

Desse valor total, Márcio Bento descontou o valor de R$ 682 mil, referentes à dívida com o PASEP. Segundo ele, o Supremo Tribunal Federal já decidiu que instituições filantrópicas como, no caso, a Santa Casa, não deve recolher este tipo de encargo social.

Algumas dessas dívidas, segundo Marcio Bento, estão parceladas junto ao Governo e espera-se que em breve a Santa Casa consiga a sua CND, Certidão Negativa de Débito, que possibilitará que o hospital receba repasses governamentais, como emendas parlamentares.

Já os médicos que tem pendências financeiras com a Santa Casa, começaram também a receber os pagamentos atrasados. Em outubro foram pagos o mês de setembro/2018 e novembro/2017. Agora em novembro serão pagos outubro/2018 e dezembro/2017 e assim sucessivamente até a quitação das pendências.

“Já os pagamentos feitos pela prefeitura, devido a contratualização dos serviços entre a Administração Pública e a Santa Casa, estão rigorosamente em dia, mas o dinheiro foi utilizado pela diretoria anterior para o pagamento de outras despesas da instituição para que a mesma não deixasse de atender a população” explicou o interventor Márcio Bento.

Segundo o prefeito José Eduardo a despesa mensal da Santa Casa somente com funcionários e a estrutura, sem contar os médicos, é de R$ 219 mil e a capacidade ociosa do hospital é grande. “A Santa Casa conta com 60 leitos e a média diária de internações é de 6,6 pacientes. Neste mês de outubro foram 198 internações. Nos anos 90 a média mensal de internações era de 500 a 600 pacientes e isso gerava uma boa receita para o hospital”, disse José Eduardo.

Uma das causas dessas ociosidade é que muitos pacientes estão sendo transferidos para outros hospitais quando poderiam ser internados em Guaíra, gerando repasses do SUS, dos planos de saúde e dos atendimentos particulares para a Santa Casa.

Sugestões apresentadas

O prefeito José Eduardo pretende conversar com os médicos que atendem na Santa Casa para que, quando necessário, internarem seus pacientes em Guaíra, não os deslocando para outras unidades. “Como explicamos quanto maior o número de pacientes internados na Santa Casa, mais recursos virão para o Hospital e para isso dependemos do trabalho conjunto com os médicos”, disse o Chefe do Executivo.

Outra mudança seria a transferência do Pronto Socorro para o local onde está o ambulatório e o ambulatório seria realocado para a UPA, Unidade de Pronto Atendimento, no Bairro Campos Elíseos. “Com isso o paciente passaria pelo médico e já faria os exames necessários, sem a necessidade de ir e voltar para o Pronto Socorro como acontece hoje e caso precisasse já poderia ser internado, otimizando o trabalho no atendimento de urgência e emergências, reduzindo também os gastos com o transporte de pacientes”, explicou o prefeito. Para fazer as adequações necessárias para esta mudança, José Eduardo buscou apoio junto a iniciativa privada e uma grande empresa do município se prontificou a pagar os custos dessas obras.

Também será buscado o apoio da sociedade civil. “Uma sugestão é a doação através da conta de água. Cada um poderia ajudar com a quantia que pudesse, pois afinal de contas a Santa Casa é de todos nós”, disse o Chefe do Executivo. Para viabilizar esta campanha, seria feita uma ampla divulgação para sensibilização da comunidade e também dos empresários do município.

Márcio Bento também informou que estão sendo procurados profissionais de especialidades médicas que não atendem em Guaíra. “Está difícil conseguir esses profissionais. Por exemplo, procuramos neurologistas e nenhum médico quis vir para Guaíra”, disse o interventor. Para tentar estas contratações, a Santa Casa abriu o credenciamento de novos profissionais colocando anúncios em jornais de grande circulação em centros como a cidade de Ribeirão Preto.

Ao final da coletiva, José Eduardo afirmou estar confiante que sua administração conseguirá resgatar a Santa Casa de Guaíra, proporcionando novamente a população guairense um atendimento de qualidade.