O sonho da casa própria sempre fez parte da família brasileira, e assim continuará por um longo período. Mas recentemente, observamos um movimento muito forte, especialmente nas gerações mais novas de evitarem o “ter” e irem para o “compartilhar” ou “temporário”. Além disso, uma mudança na economia e no estilo de vida tem dado destaque a questão do morar de aluguel.

Mas afinal, qual a melhor opção financeiramente? De um modo bastante objetivo, após ter feito muitos estudos de casos de clientes (foram mais de 300, ufa!), posso afirmar que morar de aluguel definitivamente é melhor, do ponto de vista das finanças pessoais.

Partindo de um exemplo prático e simples onde temos R$300 mil reais na mão e a escolha de dois caminhos, sendo aluguel contra compra projetando isso por dez anos.

Temos os seguintes cálculos:

Aluguel: 
Aplicar R$300 mil por 10 anos na Renda Fixa (10% ao ano e conservador) temos: R$706 mil líquidos (pós Imposto de Renda.

Custo com aluguel nesse período: R$1500/mês sendo reajustado em 3% ao ano: R$204 mil ao longo de 10 anos.

Saldo: R$706 mil menos R$204 mil : R$502 mil.

Compra: 
Usamos os R$300 mil na compra, atualizei por 4% ao ano a valorização do imóvel por dez anos e realizamos a venda: Teríamos: R$396 mil.

Saldo a favor do aluguel : R$106 mil.

É importante destacar que usei índices de correção do aluguel e valorização de imóveis pela média das capitais brasileiras. Mas ainda assim, costumo ser bastante conservador no cálculo dando mais margens de segurança para a compra e, apesar disso, temos R$106 mil a favor do aluguel.

Também não levei em conta outros fatores que atingem de modo desfavorável quem faz a compra, como por exemplo, custo com tributos e custas de cartório imobiliário, algo em torno de 4% do valor do imóvel. Também o fator de quem é proprietário de imóvel tem as maiores responsabilidades sobre ele na questão de manutenção.

A favor do aluguel também gosto de destacar o moderno conceito da flexibilidade de onde morar. É comum as pessoas alternarem muito de empregos ao longo da vida; e morando de aluguel favorece muito a facilidade de se mudar para próximo ao trabalho, ganhando tempo e qualidade de vida.

Mas, o que sempre gosto de destacar aos nossos clientes, é que nem tudo deve ter decisão do ponto de vista financeiro. Para aquelas pessoas que gostam de ter um lar ao jeito e gosto, talvez comprar o imóvel faz muito sentido. Onde poderá investir nele com boas marcenarias e acabamentos, tendo a certeza que não tem final de contrato e eventualmente ter que ser mudar (o que dá um trabalhão).

Conheço muitos casos em que a compra de casa foi interessante, mas o grande fator aqui é saber trabalhar em todos os detalhes. Mas se tem uma regra que posso destacar aqui é: Compre por um bom preço! Sim, fazendo um bom negócio na compra você já andou metade para o sucesso. E é bom ressaltar mais uma segunda regrinha, “as oportunidades nunca acabam”, significa para ter paciência. A compra do imóvel tem de ser feita de modo racional e, sem dúvidas, boas oportunidades sempre surgirão.

Por fim, ter o peso financeiro de modo claro na decisão de compra contra aluguel é bastante relevante, mas se conhecer, como em quase tudo na vida, é o mais importante para um caminho mais saudável.

*Ricardo Hiraki Maila é administrador, pós-graduado em gestão financeira pela FGV e pós-graduado em gestão de negócios pelo Mackenzie. Trabalhou por mais de cinco anos como diretor de planejamento e financeiro de um grande grupo do Brasil. Fundou a Plano Consultoria há dois anos, empresa de consultoria de finanças pessoais, que hoje conta com 15 colaboradores.