GuairaNews

Lavagem nasal em bebês ajuda na qualidade do sono e previne infecções respiratórias

Quem tem o hábito de limpar o nariz todos os dias reduz, segundo os especialistas, de 30% a 50% a necessidade de uso de medicações e a frequência de casos de gripes e resfriados.

Independentemente da idade, a lavagem nasal tem vários benefícios para todas as pessoas, pois, além de auxiliar a prevenir gripes e resfriados, ajuda na prevenção de outras doenças respiratórias como rinite e sinusite, auxilia na manutenção do conforto respiratório, ajudando a evitar o nariz entupido e o ressecamento nasal.

Mas quando se trata dos bebês, mães, pais e cuidadores costumam ter muitas dúvidas sobre a lavagem nasal logo no início da vida. Reunimos aqui dicas e benefícios que a lavagem promove na saúde da criança.

Amamentação saudável

Os bebês respiram quase exclusivamente pelo nariz até os dois meses de idade. Como são pequenos e dependentes, passam muito tempo deitados e não conseguem assoar o nariz, o que pode fazer com que a obstrução nasal (nariz entupido) seja uma ameaça frequente. Com o nariz obstruído, acabam respirando pela boca, o que atrapalha também no momento da amamentação. O hábito de respirar pela boca pode, inclusive, prejudicar a respiração do bebê e trazer problemas mais graves. Lavar o nariz do bebê ajuda a evitar essa congestão nasal, o que traz mais conforto durante o aleitamento.

Melhora na qualidade do sono e no humor

Como a respiração nasal é quase exclusiva para bebês de até dois meses de idade, o nariz entupido pode trazer um desconforto respiratório muito grande para o recém-nascido, o que afeta a qualidade do sono. Com o sono comprometido, o bebê pode apresentar alta irritabilidade durante o dia. A lavagem nasal ajuda para noites mais tranquilas devido à redução da obstrução nasal.

Prevenção de infecções respiratórias

Realizada ao menos duas vezes ao dia, a lavagem nasal diária ajuda a evitar infecções respiratórias como gripes e resfriados, que podem ser mais agressivas em bebês, já que estão em fase de formação do sistema imunológico (o sistema imunológico não está totalmente formado até os quatro anos de idade). A lavagem nasal promove uma limpeza por arraste, que remove as impurezas do ar inaladas. Isso ajuda a remover agentes agressores que poderiam desencadear uma infecção ou doença respiratória.

Sobre a Libbs Farmacêutica

A Libbs é uma indústria farmacêutica brasileira 100% nacional, que está no mercado há mais de 60 anos e conta com cerca de 2.600 colaboradores. A companhia investe 10% de seu faturamento entre P&D e inovação e comercializa cerca de 90 marcas em mais de 200 apresentações de medicamentos, distribuídos nas seguintes especialidades: cardiovascular, ginecologia, oncologia, dermatologia, respiratória, transplantes e sistema nervoso central. Foi a primeira indústria farmacêutica a implantar o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (rastreabilidade).

Recentemente, inaugurou sua unidade de Biotecnologia, responsável pela produção de medicamentos biológicos indicados para tratar câncer e doenças autoimunes, com tecnologia single-use (produção que utiliza biorreatores com bolsas descartáveis). Por entender que tratar da vida vai além de fabricar medicamentos, a empresa também realiza um trabalho de responsabilidade social corporativa com o apoio a projetos educacionais, culturais e esportivos com foco em saúde, educação e qualidade de vida, sempre vinculados à superação de limitações. O seu propósito é contribuir para que as pessoas alcancem uma vida plena e sua aspiração é ser a farmacêutica brasileira mais admirada do mundo.

Fontes consultadas:

1. Slapak I, Skoupá J, Strand P, et al. Efficacy of isotonic nasal wash (seawater) in the treatment and prevention of rhinitis in children. Arch Otolaryngol Head Neck Surg. 2008;134(1):67-74.

2. Stachler RJ. Comorbidities of asthma and the unified airway. Int Forum Allergy Rhinol. 2015;5(Suppl 1):S17-S22.

3. Sakano E, Sarinho ESC, Cruz AA, et al. IV Consenso Brasileiro sobre Rinite – Atualização em rinite alérgica. Braz J Otorhinolaryngol. 2018;84(1):3-14.

4. Chirico G, Quartarone G, Mallefet P. Nasal congestion in infants and children: a literature review on efficacy and safety of nonpharmacological treatments. Minerva Pediatr. 2014;66(6):549-57.

5 . Mion O, Mello JF Jr. O uso das soluções salinas no nariz e seios paranasais. RBM-ORL. 2007;2(3):77-83.

6. Morales TM, Boett LMA. Obstrução nasal e suas repercussões. [internet]. In: Sih T, Chinski A, Eavey R. II Manual de Otorrinolaringologia Pediátrica da IAPO – Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology [acesso em 04 mar 2021]. Disponível em: http://www.iapo.org.br/manuals/05-3.pdf.

7 . Ygberg S, Nilsson A. The developing immune system – from foetus to toddler. Acta Paediatr. 2012;101(2):120-7.