Muitas até são recuperadas pela polícia porém por falta de comprovação de propriedade lotam a delegacia e vão para leilão

Muitas até são recuperadas pela polícia porém por falta de comprovação de propriedade lotam a delegacia e vão para leilão

 

A Polícia recupera em média três bicicletas por semana, a estimativa é que os biciclos roubados seja o triplo disso, cerca de nove por semana, mais de uma por dia.

O delegado, Dr. Evandro Abrão Nacle acredita que o número de furtos seja alto, primeiro pela facilidade para os ladrões praticarem o delito, uma vez que a maioria esmagadora das bicicletas surrupiadas estão destrancadas.

Colabora ainda para este alto índice de furtos o fato das bicicletas serem moeda de troca de fácil circulação nas bocas de fumo e para completar, as ‘magrelas’ são veículos que invariavelmente, salvo raras as exceções, não tem documentos que as liguem com seus proprietários. Nota fiscal por exemplo.

Esta falta de vinculo comprovado entre a vítima do furto e o objeto apreendido ou encontrado faz com que centenas de bicicletas acumulem na delegacia e sejam apregoadas e lotes, quando ocorrem os leilões do pátio.

Uma ação que poderia fazer cair no volume de bicicletas furtadas seria o emplacamento. Projeto que chegou a ser aprovado na Câmara dos Vereadores e iniciado no mandato do ex-prefeito, Sérgio de Mello. O emplacamento não teve seguimento, o que não só dificulta o trabalho da polícia, nos casos de furtos, como também impossibilita a aplicação de sanções aos ciclistas infratores.