[Opinião] IMPRESSÕES DE UMA VIAGEM A GUAÍRA, SP (por Pedro Luiz Pozza – Juiz e Professor)

Na semana passada, estive na cidade de Guaíra, interior de São Paulo, situada a uma distância de cento e vinte quilômetros de Ribeirão Preto. O motivo da viagem foi a participação no IV Congresso da Cátedra Euro-Americana de Defesa dos Direitos do Consumidor e II Congresso Internacional dos Pensadores em Cooperativismo.
IMPRESSÕES DE UMA VIAGEM A GUAÍRA, SP
Juiz e Professor Pedro Luiz Pozza
IMPRESSÕES DE UMA VIAGEM A GUAÍRA, SP
Juiz e Professor Pedro Luiz Pozza

Na semana passada, estive na cidade de Guaíra, interior de São Paulo, situada a uma distância de cento e vinte quilômetros de Ribeirão Preto.

O motivo da viagem foi a participação no IV Congresso da Cátedra Euro-Americana de Defesa dos Direitos do Consumidor e II Congresso Internacional dos Pensadores em Cooperativismo.

Pode parecer estranho realizar-se um evento tão importante, que contou com a participação de juristas espanhóis, argentinos e colombianos, além de brasileiros, numa pequena cidade do interior, com cerca de cinqüenta mil habitantes.

Ocorre que nesta cidade, a partir do próximo ano, iniciam-se as atividades de uma faculdade, mantida pela Kheiron Educacional, que conta com a direção do Professor Dr. José Eduardo Miranda, graduado em Direito na UNISINOS, e com Doutorado em Cooperativismo na Universidade de Deusto, na Espanha.

Em seu retorno ao Brasil, o Professor Miranda especializou-se na gestão de estabelecimentos superiores de ensino, já tendo atuado em Colatina, Registro e Pelotas.

O projeto dessa faculdade é ambicioso, sendo que em 2013 iniciam as atividades de três cursos e, a partir de 2014, dos demais, entre eles o de Direito. A idéia é transformar Guaíra em um centro de referência do ensino universitário, pretensão que começou com o pé direito justamente em função do citado Congresso.

A despeito de tratar-se de uma cidade pequena do interior, Guaíra é um município próspero, com uma agricultura forte, voltada em especial à plantação de cana de açúcar e laranja.

Também possui um comércio forte, com inúmeras lojas.

Mas o que mais surpreendeu nos três dias em que lá estive foi a recepção dos moradores locais.

Mesmo que a maioria não seja do ramo jurídico, a cidade está literalmente engajada no projeto.

Além disso, todos os moradores com quem interagi foram de uma gentileza sem par com os visitantes.

A comunidade percebeu a importância do projeto e o apóia integralmente.

O calor humano dos moradores é contagiante, sendo que todos fomos muito bem recebidos e tratados.

Um destaque especial ao jantar na sede do Lions Clube, na terça-feita a noite. Aliás, até hoje não havia visto um clube de serviços, em especial no interior, com sede própria.

Mas Guaíra não se resume a isso. Cidade com oitenta anos de idade, tem um jornal diário mais antigo ainda, com 83 anos de circulação.

Ainda, cumpre destacar que o evento realizou-se na Casa de Cultura de Guaíra, cujo projeto é de autoria de Oscar Niemeyer.

Também há no centro da cidade um grande lago, rodeado de árvores e uma grande calçada para caminhar, cujo projeto é de Burle Marx.

Ao longo do lago há lugares para descanso e também várias “academias de ginastica”, à disposição dos moradores.

Portanto, trata-se de uma cidade diferente, e que merece ser visitada.

Agradeço de coração o carinho das pessoas da cidade e desejo todo o sucesso ao empreendimento da Kheiron Educacional.

[box] Pedro Luiz Pozza, juiz de direito no Estado do Rio Grande do Sul, professor da Escola Superior de Magistratura da AJURIS e com Doutorado em Processo Civil pela UFRGS. É autor de diversas obras e artigos relacionados à área jurídica.[/box]

fonte: http://pedropozza.wordpress.com/

Publicidade:
Anterior MPF pede que a expressão 'Deus seja louvado' seja retirada das cédulas de reais
Próxima [Humor] Filme Matrix em 60 segundos