CUIDADO COM A PELE DAS CRIANÇAS DEVE SER CONSTANTE DURANTE AS FÉRIAS DE VERÃO


Exposição solar excessiva na infância está associada a maior risco de câncer de pele no futuro, incluindo o melanoma (tipo mais agressivo da doença). Mais de 30% dos tumores malignos registrados no país são na pele

São Paulo, 13 de janeiro de 2020 – Verão e férias escolares. A combinação é perfeita para atividades e brincadeiras ao ar livre, seja na praia, no parque, na piscina ou até mesmo no campo.

A diversão e o tempo livre devem ser aproveitados, mas sem descuidar da proteção contra os raios ultravioleta, mais fortes e constantes nessa época do ano.

Evitar o sol das 10h às 16h e reforçar a fotoproteção dos pequenos são atitudes importantes para evitar queimaduras, que de imediato trazem vermelhidão, ardência e dor, mas que, ao longo do tempo, também aumentam as chances de câncer e de envelhecimento da pele.

De acordo com Rafaella Caruso Matos, dermatologista do Hospital Santa Catarina, o recomendado é utilizar protetor solar com fator no mínimo 30 nas crianças a partir dos seis meses de vida, além de roupas, chapéus e sombras, que funcionam como barreiras físicas ao sol.

“A queimadura solar na infância está relacionada a uma maior chance de desenvolvimento de melanoma na idade adulta. Para evitar queimaduras solares é imprescindível o uso do protetor, que deve ser reaplicado a cada duas horas ou após sudorese intensa e mergulhos”, afirma.

No caso dos bebês, a exposição solar direta deve ser evitada. E para saber se o sol está muito forte, a dermatologista dá uma dica: “avalie a sua própria sombra. Se a sombra formada pelo seu corpo no chão for menor que sua altura, não se exponha”.

Segundo a médica, nos meses mais quentes do ano, entre dezembro e fevereiro, aumentam levemente (cerca de 10%) os atendimentos a crianças com casos relacionados à pele. “Há muitos episódios de alergias (dermatites de contato), uma piora dos quadros de dermatite atópica, ressecamento e alguns tipos de micoses”, conta.

Se, mesmo assim, ainda houver abusos e acontecer uma insolação, a especialista recomenda hidratação via oral (consumo de líquidos) e da pele, com cremes e loções, além do uso de roupas leves. “Em casos mais graves, com queimaduras extensas, os pais devem procurar um dermatologista, pois podem ser necessárias medicações específicas”.

Líquidos são sempre bem-vindos no verão, por isso não espere a criança pedir água. Sucos, chás e água de coco são boas opções para ter à mão durante os passeios. “Hidratação e alimentação saudável são essenciais para manter um equilíbrio na saúde como um todo”, conclui.

Hospital Santa Catarina

O Hospital Santa Catarina, que completou 113 anos de fundação em 2019, prima pela excelência no atendimento seguro e humanizado. Referência de qualidade em serviços de saúde no Brasil, atende desde pequenos procedimentos até cirurgias de alta complexidade. A instituição filantrópica é parte da Associação Congregação de Santa Catarina, uma rede social que atua nos eixos da saúde, educação e assistência social, e congrega cerca de 14 mil colaboradores, distribuídos em diversas obras sociais e programas de apoio, em seis estados brasileiros.

Com infraestrutura moderna, equipamentos de última geração e profissionais altamente qualificados, o Hospital Santa Catarina dispõe de 316 leitos, sendo 79 de UTI, distribuídos em cinco Unidades de Tratamento Intensivo (neurológica, cardiológica, pediátrica, geral e multidisciplinar), 17 salas de cirurgias e pronto atendimento 24 horas.

Anterior CASA DE CULTURA DE GUAÍRA ABRE INSCRIÇÕES PARA AS OFICINAS CULTURAIS 2020
Próxima LIQUIDAÇÃO DE JANEIRO CHEGA AO SHOPPING IGUATEMI RIBEIRÃO PRETO COM DESCONTOS DE ATÉ 50%