SEMANA MUNDIAL DE AMAMENTAÇÃO DESTACA IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO NOS PRIMEIROS MESES DE VIDA

Dra Mônica Barthelson, docente da Faculdade São Leopoldo Mandic, comenta sobre os benefícios para as crianças e, também, para as mulheres
De 1º a 7 de agosto é celebrada a Semana Mundial de Amamentação. A data tem como objetivo reforçar a importância do aleitamento materno nos primeiros meses de vida. De acordo com a Profª Dra. Mônica Barthelson, docente das disciplinas de Saúde da Mulher e Pediatria e Coordenadora da Liga De Pediatria da Faculdade São Leopoldo Mandic, a amamentação traz benefícios para a criança como oferecer uma melhor composição alimentar e proteção para toda parte imunobiológica. Para a mulher, protege também do câncer de mama.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), se possível, a recomendação é manter o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e depois até os dois anos de idade junto com alimentação complementar.

“Nos primeiros seis meses, com a amamentação exclusiva, não há necessidade de água, chá ou qualquer outro alimento se a criança estiver saudável e ganhar bem peso. É importante evitar o contato com outros bicos, como mamadeiras e chupeta”, afirma a Profª Dra. Mônica.

Para auxiliar na amamentação, a especialista recomenda que as mães bebam bastante água e mantenham as mamas secas e bem higienizadas. Além disso, há exercícios próprios que podem ser praticados durante a gestação, que podem ajudar. No entanto, a Profª Dra. Mônica alerta que as mulheres devem ficar atentas para alguns sinais que não podem ser considerados normais, como sentir muita dor para amamentar por tempo prolongado e descarga mamilar sanguinolenta.

As mães que apresentarem quadro de febre e doenças comuns podem amamentar normalmente. E, em meio à pandemia de Covid-19, a recomendação para as mulheres com coronavírus, com condições clínicas, devem amamentar, mantendo máscara e uso de álcool gel, para minimizar o risco de transmissão para o bebê.

Sobre a São Leopoldo Mandic

Considerada uma das dez melhores instituições de ensino superior do País há 12 anos consecutivos no Índice Geral de Cursos (IGC) do MEC, a Faculdade São Leopoldo Mandic reúne, no corpo docente, professores doutores formados pelas melhores instituições de ensino do Brasil e do Exterior. Estruturada com laboratórios de última geração e clínicas odontológicas completas, a Instituição oferece aos alunos vivência prática nos cursos de Odontologia e de Medicina desde o 1º ano, atividades de pesquisa e prestação de serviços comunitários, convênio com hospitais e Unidades Básicas de Saúde, cursos de graduação e pós-graduação. Além de laboratórios com exercícios de simulação realística, utilizando recursos modernos para diagnóstico, o HUB de Inovação e o Barco da Saúde. O corpo docente é formado por doutores e pós-doutores com vasta produção intelectual. A Faculdade São Leopoldo Mandic tem outras nove unidades distribuídas pelo País, que oferecem cursos de pós-graduação e mais uma unidade de graduação em Medicina, na cidade de Araras (SP). Canais: slmandic.edu.br ; facebook.com/saoleopoldomandic .
Publicidade:
Anterior O PERIGO DAS FAKE NEWS PARA A SOCIEDADE E O IMPACTO ÀS PESSOAS E INSTITUIÇÕES
Próxima OBESIDADE PODE AGRAVAR QUADRO DE COVID-19