SAIBA COMO REFORÇAR A IMUNIDADE DAS CRIANÇAS

Especialista do Hospital 9 de Julho explica como os pais podem ajudar a manter os filhos mais protegidos contra doenças

São Paulo, agosto de 2020 – A pandemia de Covid-19 aumentou nos pais a preocupação com a imunidade das crianças. Apesar dos pequenos não fazerem parte dos grupos de risco e, em geral, serem menos afetados pela nova doença, as famílias passaram a ficar mais atentas à saúde de todos. A boa notícia é que é possível, com um conjunto simples de ações, reforçar a imunidade das crianças.

Maria Amparo Martinez, pediatra do Hospital 9 de Julho, conta que a  imunidade é bastante imatura na primeira infância. “Antes do terceiro mês, o bebê é imunologicamente frágil, com defesas muito básicas.” Nessa fase, ele carrega a proteção natural de alguns anticorpos passados pela mãe durante a gestação e pelo leite materno, que vão agir até o oitavo ou nono mês, e só então o corpo começa a produzir sozinho defesas mais eficientes.

Depois do primeiro aniversário, a criança passa a aumentar sua imunidade gradativamente e um dos fatores mais importantes para a formação das defesas é a alimentação. “Para manter uma criança saudável é fundamental proporcionar a ela uma alimentação variada, com boa oferta de nutrientes”, explica a pediatra. Além de diversidade de legumes, ela destaca que as frutas fazem ainda mais diferença, pois são ricas em vitaminas essenciais para as defesas do organismo.

Um segundo pilar do bom desenvolvimento do sistema imunológico é o sono. Garantir uma boa rotina de descanso, com sono de qualidade, vai ajudar o corpo a se manter protegido contra os invasores.

Outro hábito que deve ser mantido é o de permitir que as crianças façam atividades ao ar livre, em ambiente com luz natural e ar limpo, sempre que possível.

“Quem brinca fora de casa, toma um pouco de sol e respira ar fresco tem a imunidade fortalecida. A vitamina D, que precisa do sol para ser produzida, é essencial para as células que vão proteger o organismo”, diz Maria Amparo.

Equilíbrio entre sujeira e limpeza

Quando brincar fora de casa ou mesmo no espaço doméstico, é necessário deixar também que os filhos tenham contato com um pouquinho de “sujeira”, para estimular o sistema imunológico. “A criança que vive em ambiente totalmente asséptico fica mais vulnerável. É preciso deixar que ela mexa nos animais, brinque no jardim, tenha contato com a natureza, sempre com supervisão e em ambientes adequados”, aconselha a pediatra.

Depois da brincadeira, no entanto, deve-se cuidar da higiene. Dar atenção aos banhos e à limpeza depois de usar o banheiro, por exemplo, vai impactar na saúde. “A criança que não tem cuidados adequados com a higiene está mais propensa a infecções, e a imunidade pode não dar conta e ser abalada por isso”, explica a pediatra.

Tendência alérgica

Algumas crianças, no entanto, podem manter a rotina correta para o fortalecimento da imunidade mas, mesmo assim, serem mais sensíveis. É o caso das que nascem com maior tendência alérgica, manifestada por doenças como rinite alérgica, bronquite e dermatite atópica.

A pediatra explica que, nesses casos, elas não têm a imunidade baixa, mas o seu sistema de defesa como um todo não funciona direito, por isso elas são mais propensas a pegar viroses, que vão aumentar a alergia e atrapalhar a imunidade, em um círculo vicioso.

“Elas devem ter mais cuidado, ir mais ao médico e serem acompanhadas com atenção redobrada. Quando apresentarem sinais de agravamento do quadro alérgico ou de outras doenças, os pais não devem hesitar em procurar o Pronto-Socorro”.

Sobre o Hospital 9 de Julho

Fundado em 1955, em São Paulo, o Hospital 9 de Julho é referência em medicina de alta complexidade com destaque para as áreas de Neurologia, Oncologia, Onco-hematologia, Gastroenterologia, Urologia, Trauma e Ortopedia. 

Com cerca de 2,5 mil colaboradores e 5 mil médicos cadastrados, o hospital possui 470 leitos, sendo 102 leitos nas Unidades de Terapia Intensiva, Centro Cirúrgico com capacidade para até 22 cirurgias simultâneas, inclusive com duas salas híbridas (com equipamento de Hemodinâmica e Ressonância Magnética) e três para robótica, incluindo a Sala Inteligente, que permite a realização de cirurgias em sequência. 

Além disso, oferece atendimento ambulatorial no Centro de Medicina Especializada com mais de 50 especialidades e 12 Centros de Referência: Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional; Rim e Diabetes; Cálculo Renal; Cardiologia; Oncologia; Gastroenterologia; Controle de Peso, Infusão, Medicina do Exercício e do Esporte; Clínica da Mulher; Longevidade, Doenças Inflamatórias Intestinais (CDII) e Trauma. 

O Hospital 9 de Julho pertence à Rede Ímpar que possui 7 hospitais nos estados de São Paulo (Hospital Santa Paula e H9J), Rio de Janeiro (Hospital São Lucas Copacabana e Complexo Hospitalar de Niterói – CHN) e Distrito Federal (Hospital Brasília, Maternidade Brasília e Hospital Águas Claras) e que se uniu à DASA, líder em medicina diagnóstica no Brasil e GSC Integradora de Saúde. 

A instituição possui certificação internacional de qualidade, conferida pela maior acreditadora de qualidade do mundo, a Joint Commission International – JCI, desde 2012. Sua unidade de Transplante de Medula Óssea, atualmente, é a única no mundo com a linha de cuidado certificada pela JCI.

Publicidade:
Anterior TRATAMENTOS E PRODUTOS PARA A PRODUÇÃO DE COLÁGENO EVITAM O APARECIMENTO DE RUGAS E FLACIDEZ NO ROSTO
Próxima NORTH SHOPPING BARRETOS CONQUISTA 18 PREMIAÇÕES NA PESQUISA DE PREFERÊNCIA DA ACIB