Com a pandemia, coliving se reafirma como tendência de moradia no Brasil

Formato que valoriza a comunidade, diferentes ambientes e custo-benefício, é a escolha de jovens que saem da casa dos pais para trabalhar ou estudar

São Paulo, outubro de 2020 – Comum em países de primeiro mundo como os da Europa e Estados Unidos, o coliving vem ganhando cada vez mais força no Brasil. Segurança, privacidade, comodidade, praticidade, infraestrutura e convivência com pessoas de diferentes regiões brasileiras e do mundo, são benefícios que mais se destacam neste formado de moradia.

Ainda recente no país, as moradias compartilhadas têm sido a opção para muitos jovens, especialmente os que saem de casa para estudar e trabalhar. Juliano Antunes, CEO da Uliving – pioneira em student housing (uma modalidade específica de coliving) no Brasil, com 5 unidades em funcionamento no país, explica que cada vez mais o público de 18 a 30 anos tem buscado residir próximo aos grandes centros comerciais.

“Para esse perfil, a prioridade pela otimização do tempo é unânime. Residir próximo às faculdades, centros empresariais e locais que proporcionam o lazer é um requisito fundamental para dar o primeiro passo à independência”.

Antes da pandemia da Covid-19 a busca por este formato já era crescente. Porém, o CEO da Uliving destaca que é um mercado que tende a aumentar ainda mais.

“Com os cursos e graduações sendo boa parte EAD, as empresas adotando o home office – mesmo que em alguns dias na semana – esses jovens profissionais e estudantes priorizarão uma infraestrutura adequada para ser cada vez mais confortável o novo normal”.

José Matheus Domingos, 19 anos, estudante de direito da Universidade Mackenzie era morador da cidade de Santos, no litoral paulista. Durante o primeiro ano da graduação, encarava mais de 190km por dia para participar das aulas presenciais.

“Era cansativo e não conseguia otimizar meu tempo. Morando desde fevereiro na Uliving, região dos Jardins em São Paulo, tenho muito mais espaço na minha agenda para distribuir em estudo ou investir em um tempo para mim”.

Mesmo com todas as práticas de isolamento social e tendo aulas virtuais, José Matheus permaneceu na Uliving. Para o estudante de direito, residir em um local bem centralizado e com infraestrutura, como salas de estudos, coworking, além do próprio quarto, são benefícios que auxiliaram na nova dinâmica de estudos.

“Busquei apartamentos para alugar, mas nenhum me oferecia todos esses requisitos que tenho aqui. Compartilho a moradia, mas tenho minha privacidade, além de estar próxima à minha faculdade quando as aulas retomarem e com certeza em uma região centralizada para as novas oportunidades de emprego que eu encontrar”.

Pós pandemia, a sociedade vai se deparar com mudanças de comportamento, especialmente na forma de conviver e trabalhar, o que vai estimular ainda mais o compartilhamento. Para Juliano Antunes, as moradias compartilhadas serão, cada vez mais, a escolha para quem pretende viver nos grandes centros.

“É por isso que adaptamos as nossas unidades e incluímos nos projetos futuros uma estrutura ainda mais adequada para atender ao novo público, Cápsulas a prova de som para videoconferências nos coworkings, é um dos meios adotados para atender às novas necessidades dos moradores”.

A localização continua sendo relevante, com foco em empreendimentos que estão em regiões que possuem uma boa infraestrutura, cercadas por opções de comércios, lazer e entretenimento, além de fácil acesso às principais universidades. Segundo o executivo da marca “Mesmo com a pandemia, este é um ponto importante para que a pessoa, quando tiver que se deslocar, não tenha que depender da aglomeração de um transporte público”.

A Uliving também abraça jovens que já se formaram e estão no mercado de trabalho, no qual o CEO acredita que representará 30% de seus clientes totais, nos próximos meses, complementando o seu público.

“Temos, em média, 8 milhões de estudantes universitários no Brasil e, aproximadamente 1,8 milhões de jovens que saem de casa para estudar. Acreditamos que daqui alguns meses a grande maioria das faculdades retome aulas presenciais”, finaliza Juliano.

Sobre a ULIVING

A ULIVING Brasil foi fundada em 2012 e trouxe para o país um novo conceito de hospedagem estudantil. A empresa oferece aos moradores toda a estrutura e suporte para proporcionar experiências únicas para os jovens que saem de casa para estudar. Além de apartamentos totalmente mobiliados e espaços de convivência como sala de estudos, sala de tv, cozinha comunitária, dentre outros, a Uliving cria um ambiente onde os estudantes se sentem em casa, fortalecendo entre eles o senso de comunidade e pertencimento. A Uliving já possui 5 unidades em funcionamento no estado de São Paulo e Rio de Janeiro e, no início de 2018, se associou à VBI Real Estate, uma gestora de Fundos de Private Equity, consolidando assim seu plano de expansão.

Publicidade:
Anterior Receita: Lasanha em 15 minutos, sem ir ao forno?
Esta é a notícia mais recente.