O impacto da Vitamina C na imunidade das crianças

Estações mais frias do ano e cenário de pandemia intensificam a preocupação de pais e responsáveis sobre a incidência de doenças respiratórias no público infantil
Foto de Any Lane no Pexels

A queda de temperatura nos meses de inverno sempre gera apreensão de pais e responsáveis sobre o fortalecimento do sistema imunológico das crianças.

Diante deste cenário, o cardiologista Dr. Daniel Magnoni, chefe de nutrologia do Instituto Dante Pazzanese, em São Paulo, alerta para os riscos de escolhas feitas sem orientação médica.

“Não deve se optar por um consumo aleatório de nutrientes sem que haja comprovação de déficit de vitaminas e minerais na alimentação diária dos pequenos. Entre os aliados, com comprovação científica, que não podem faltar na dieta infantil destacamos a Vitamina C, que é um nutriente essencial para uma série de funções do organismo, sendo importante para o funcionamento de enzimas que atuam na síntese de colágeno e neurotransmissores, além de possuir importante função antioxidante, combatendo os efeitos dos radicais livres no corpo”, explica Dr. Magnoni.

Muito popular como uma vitamina importante para o sistema imunológico, a Vitamina C atua em algumas etapas que ajudam a fortalecer as defesas do organismo.

“A síntese de colágeno promovida pela Vitamina C contribui para o fortalecimento da barreira epitelial, que impede a entrada e a contaminação por microrganismos presentes no ambiente. Além disso, seu papel antioxidante é muito importante para otimizar o funcionamento de células do sistema imunológico e equilibrar a formação de agentes oxidantes que surgem durante a resposta inflamatória que, em excesso, podem levar a consequentes danos no organismo”, explica Dr Magnoni.

A Vitamina C está presente em diversos alimentos, tanto em frutas como acerola, laranja, morango, goiaba, kiwi, caju e limão, quanto em vegetais como brócolis, couve, salsa, pimentão amarelo. Quando há déficit, recomenda-se a suplementação, porém a prescrição da vitamina deve seguir padrões relacionados à efetividade e ações individualizadas.

“Nem sempre é possível manter uma dieta equilibrada que consiga suprir a necessidade adequada de vitamina C no organismo. Para estes casos, há no mercado diversas formas de suplementos que vão desde comprimidos e pastilhas até uma nova geração de suplementos vitamínicos, em gomas, com formato lúdico, que favorece a adesão das crianças por serem divertidas e saborosas”, completa Dr. Magnoni, que também é responsável pela área de nutrologia de 13 hospitais de São Paulo.

Anterior Dia do Rock: Dicas de decor e isolamento acústico para os amantes do estilo musical
Próxima 5 dicas para aliviar os sintomas da rinite alérgica no inverno