Veja cuidados essenciais com os medicamentos dos idosos


Foto de cottonbro no Pexels

A gestão de medicamentos no idoso precisa ser feita com muito cuidado, visto que é uma população que sofre com diversas alterações fisiológicas e patológicas e que podem modificar o perfil farmacocinético e farmacodinâmico dos medicamentos utilizados.

O uso correto de remédios é essencial para a preservação da vida e pode colaborar para a longevidade e bem-estar. Dessa forma, é muito importante monitorar sempre a efetividade e segurança dos medicamentos em uso, observando os sinais e sintomas apresentados pelo idoso ao longo do tratamento

Samilla Dornellas, co-fundadora e CEO da Far.me, a primeira plataforma de compra de medicamentos recorrentes no Brasil alerta que além dos medicamentos, profissionais e familiares devem ficar atentos aos “7 Is da geriatria”: Incapacidade cognitiva, imobilidade, instabilidade postural, incontinência urinária, incontinência esfincteriana, incapacidade comunicativa e iatrogenia (excesso de medicamentos). Essas adversidades prejudicam a qualidade de vida dos idosos e precisam ser acompanhadas de perto.

Confira abaixo outros cuidados importantes para o uso e o manuseio dos medicamentos para idosos:

Confira sempre a validade

Antes de tomar o medicamento, sempre confira sua data de validade e, caso esteja vencido, descarte da forma correta. Além disso, é importante lembrar que medicamentos como colírios e pomadas, após abertos, têm um tempo de validade menor, diferente da data escrita na embalagem e normalmente podem ser utilizados por até 30 dias.

Guardar em um local seguro

Os locais mais adequados para o armazenamento de medicamentos são longe da exposição da luz, calor e umidade. Por isso, cozinha e banheiro são ambientes inadequados. É importante que seja separado um local organizado destinado ao armazenamento de medicamentos e fácil de se lembrar, como cabeceira da cama, gaveta ou um armário onde seja separado um espaço para esse fim. Esse espaço deve ser longe do alcance de crianças e animais para evitar acidentes.

Mantenha uma lista atualizada de seus medicamentos

É importante que essa lista esteja sempre por perto: na carteira, na bolsa ou no celular. E lembre-se de incluir todos os medicamentos, incluindo aqueles usados sem receita, vitaminas, suplementos e minerais, chás, medicamentos fitoterápicos e qualquer produto natural. Escrever quais são suas alergias a medicamentos também é fundamental.

Fique atento aos remédios não recomendáveis para a idade

O organismo do idoso passa por várias alterações fisiológicas devido ao envelhecimento e por isso, existem medicamentos que são inseguros para esse grupo etário (acima de 60 anos), os chamados: medicamentos potencialmente inadequados para idosos (MPIs), que podem causar efeitos adversos, como hipotensão, sedação excessiva, tontura e quedas; disfunção cognitiva, disfunção motora, alterações visuais e tremores, resultando em consequências graves na vida do idoso. Por isso, o uso deve ser estritamente avaliado. Uma classe bem conhecida são os benzodiazepínicos, como o Clonazepam, utilizado de forma muito frequente para insônia e ansiedade, e que pode resultar em quedas e fraturas no idoso pelo potencial sedativo que eles têm.

Atenção: os perigos da automedicação são reais e podem gerar sérias complicações para a saúde. As informações acima não substituem o acompanhamento psiquiátrico e farmacêutico.

Sobre a Far.me

A Far.me é a primeira plataforma de compra de medicamentos recorrentes no Brasil. A empresa fornece um serviço individual e personalizado para pacientes que utilizam remédios contínuos. Fundada em 2018, nasceu do sonho de três amigas farmacêuticas que se formaram juntas na Faculdade de Farmácia da UFMG. Ao longo da caminhada profissional, uma descoberta: a demanda não atendida da população que usa múltiplos medicamentos contínuos por dia.

Anterior Como aumentar a imunidade? Fitoterápicos podem contribuir
Próxima Prepare seu corpo para o verão com a ajuda de suplementos alimentares