Pular para o conteúdo

Senac Barretos

Copa do Mundo: O que estudantes podem aprender com atletas de alta performance?

Disciplina, rotina e vontade de se superar são lições que servem de inspiração para alunos das redes privada e pública do Brasil

No próximo domingo, 20 de novembro, é a abertura de mais uma Copa do Mundo. O Brasil está entre os favoritos para levantar a taça e o clima verde e amarelo toma conta do país, principalmente entre as crianças e adolescentes. Inspirados pela dedicação e desenvoltura dos jogadores, colégios fazem um link com esses atletas e o resultado de seus alunos, mostrando a eles que podem buscar em seus ídolos do futebol referência também na hora de estudar. Confira!

Camille Matos de Freitas leite, co-fundadora e coordenadora administrativa do PB Colégio e Curso, da Tijuca e Niterói, no Rio de Janeiro, acredita que a prática de um esporte é fundamental para os alunos. “A disciplina que o esporte traz ajuda e muito nossos alunos. Resiliência e disciplina são muito importantes quando um estudante sonha grande. Sempre orientamos nossos alunos a praticar alguma atividade física diariamente. Seja uma caminhada ou uma luta, não importa a modalidade. Manter corpo e mente sã são pilares imprescindíveis para obter êxito nos concursos”.

Também no Rio de Janeiro, porém em Campos dos Goytacazes, Fernanda Barreto Viana, professora de educação física do Colégio Centro de Estudos,corrobora com Camille: “A prática regular de esportes ajuda a criar hábitos saudáveis desde a infância, aumentando a probabilidade de sua manutenção na fase adulta. Ajuda a diminuir o tempo ocioso, momentos em que alguns adolescentes buscam outras atividades de entretenimento, como permanecer em frente ao computador e celular”.

Em Ribeirão Preto, encontramos Pedro Omar Machado que foi jogador de futebol profissional de 1967 a 1987 e hoje se dedica a ensinar o que aprendeu aos alunos do Colégio Itamarati. O professor enxerga impactos positivos do esporte na vida dos jovens:

“Em vários aspectos, inclusive! Os alunos que praticam algum esporte ou atividade física são mais resolvidos. Eles têm mais disciplinas, entendem as regras não só do esporte como em todas as áreas, eles sabem que elas são importantes para uma boa convivência. Além disso, percebo que a relação com os professores e funcionários do colégio são mais saudáveis e respeitosas”.

Roberto Carlos Lopes, professor de Educação Física do Colégio Novo Tempo, de Santos, concorda com Pedro e ressalta a importância das regras no dia a dia das crianças e adolescentes. “Vale destacar que o esporte em si é a atividade física exercida dentro de um jogo ou um campeonato, cuja prática está sujeita a regras específicas. Nesse sentido, alguns estudos apontam que crianças com maiores níveis de coordenação motora apresentam maiores níveis de atividade física e, por conseguinte, níveis superiores das aptidões físicas relacionadas a saúde”, diz o profissional que acrescenta:

“Outras linhas de estudos têm investigado os efeitos de níveis de desempenhos aeróbios e a performance acadêmico escolar, indicando relações positivas e significativas entre os mesmos. A junção das variáveis, níveis de coordenação e aptidão física, tem se mostrado intrigante do ponto de vista científico, haja vista, seu potencial promissor na modelação de jovens mais saudáveis e inteligentes”.

“A persistência é uma grande virtude dos grandes atletas e dos melhores alunos”

Pedro Omar diz que o futebol o ensinou muita coisa e ele tenta passar essas lições para seus alunos. “Na minha vida de atleta entendo que o que deve ser copiado é a postura. Dar o bom exemplo, humildade, saber se expressar e se posicionar diante as adversidades. Dar sempre o seu melhor em tudo o que fizer, seja nas mais simples ações e atitudes, além de respeitar o esporte e o outro. A persistência é uma grande virtude dos grandes atletas e dos melhores alunos”.

Renan Mont Alverne Facundo Leite, professor de Educação física do Colégio Novo Tempo concorda com Pedro e acrescenta. “O que é necessário se fazer para se tornar um atleta é a superação. A vida de atleta exige esforço e dedicação, não só o saber jogar ou fazer. Essa é uma importante lição para o aluno levar para a vida”.

Volmar B. de Souza, professor de Língua Portuguesa e diretor geral da Rede Marília Mattoso, de Niterói, Rio de Janeiro, destaca alguns aprendizados que profissionais de alta performance deixam de legado. “Atletas de alta performance têm muito a ensinar aos nossos alunos e alunas através dos seus exemplos de persistência em prol dos melhores resultados. Assim como no esporte, a vida acadêmica exige constante preparo se os alunos almejam um futuro promissor nos vestibulares e no Enem. Não é necessário abrir mão de tudo para estudar, mas sim manter uma disciplina capaz de tornar os momentos de dedicação aos estudos muito importantes, tanto quanto os de treinos atléticos para grandes finais”, diz o professor que destaca que nem só nas vitórias o esporte ensina:

“O esporte possui uma importância ímpar na vida do ser humano, principalmente quando se trata da criança e do adolescente. Por um lado, ele ensina nas vitórias, mas principalmente nas derrotas, e isso é simular a vida real. Nem sempre ganhamos na vida, por isso é necessário que as crianças aprendam a tirar importantes lições das derrotas também. Por outro lado, o esporte equilibra lazer, saúde física e saúde mental. Nenhuma outra atividade alcança esses benefícios de uma única vez”.

Rotina potencializa o resultado do atleta e do aluno

Defensora da rotina como potencializadora de resultados, Camille Leite do Colégio PB incentiva seus alunos a adotarem em suas vidas de forma definitiva:

“A rotina traz a tranquilidade de saber o próximo passo. Os alunos renunciam a muitas coisas: festas, viagens, dormem cedo. Eles são condicionados a fazer muitas questões e estudar todos os dias. Essa prática traz a capacidade de realizar 90 questões e manter-se concentrado ao máximo durante todo esse tempo. Não há dúvidas de que a prática potencializa a capacidade de cada um”, diz a profissional que, junto aos outros professores, lista algumas dicas para que o jovem crie o hábito de estudo:

– Traçar metas possíveis. Para quem nunca estudou não conseguirá estudar 8h, inicialmente. Comece com 30 min e vá aumentando gradativamente;

– Manter o compromisso diário. Estudar é um hábito diário. Independente do dia ou ocasião essa obrigação deverá ser cumprida;

– Respeitar o processo. Muitos serão os obstáculos pelo caminho, mas não desanime. Um dia após o outro na construção desse hábito. Não desanime, pois não será fácil;

– Organize-se para estudar 2 matérias por dia.

Benefícios do esporte pelos professores:

– Disciplina;

– Maior disposição para os estudos;

– Melhor qualidade de vida;

– Facilidade na resolução de problemas;

– Respeito a regras;

– Desenvolvimento de maturidade.