LADRÃO PRESO EM FLAGRANTE POR FURTO EM LOJA E MOTOCICLISTA EMBRIAGADO FORAM AS PRINCIPAIS OCORRÊNCIAS REGISTRADAS NO FIM DE SEMANA

Eram 5h45 da madrugada de domingo, dia 2, quando a Polícia Militar recebeu a denuncia anônima de que um ladrão teria quebrado a vitrine da loja Ao Barulho Calçados com uma barra de ferro.

Os PMs, Mendes e Brianez atenderam a ocorrência se dirigiram para a rua 10 com a avenida 11, de onde começaram as buscas, tendo como informações as características informadas pelo denunciante que davam conta que o ladrão era pardo, trajava calça jeans, camiseta preta com o número 10 nas costas, boné preto e tênis de cor clara.

Em patrulhamento os PMs encontraram o acusado, um servente de 28 anos, na rua 10 com a avenida 5. O indivíduo já é conhecido nos meios policiais, sendo que suas características batiam com as relatadas na denúncia e ele apresentava cortes nos braços. Fatos que indicavam que o acusado poderia ser a pessoa que quebrou a vitrine da loja de calçados.

Reforçando ainda mais a tese de que aquela pessoa abordada era o ladrão, nas proximidades do local da abordagem foi arrecada uma sandália de salto, bem como a barra de ferro que teria sido usada para o furto.

Imagens do suspeito passando várias vezes em frente a loja antes do furto, foram registradas pelo sistema de câmeras de segurança do estabelecimento.

Diante as circunstâncias o delegado de plantão Dr. Mário Renato Depieri Michelli deu voz de prisão para o acusado, pela prática de furto qualificado tentado. Tratando ter o crime pena superior a 4 anos, portanto inafiançável, o acusado foi recolhido a Cadeia Pública local, onde ficou a disposição da justiça.

BÊBADO EM ZIGUEZAGUE É PRESO

O motociclista de 32 anos trafegava em ziguezague pela avenida 9, entre as ruas 8 e 10, quando foi abordado pelos PMs, Brianez e Mendes. Isso ocorreu por volta das 2h20 da madrugada de domingo, dia 2.

Eles realizaram o teste de bafômetro e o resultado acusou uma concentração de álcool bem superior ao permitido pela lei.

Os policiais militares levaram o motociclista para o plantão da delegacia onde ele foi autuado em flagrante pelo delegado de plantão, Dr. Mário Renato Depieri, e por se tratar o delito de infração que prevê pena inferior a 4 anos, foi arbitrada fiança de mil reais, de acordo com o que prega o Código de Processo Penal Brasileiro, a qual não foi paga ficando o motociclista detido em uma das celas da cadeia pública.

No BO, da Polícia Civil consta a ressalva de que no extrato emitido pelo bafômetro constava volume do sopro, 00,0 e tempo do sopro, 00,0, resultados que em tese anulam o teste realizado, porém segundo os PM tal situação ocorre pelo fato do teste ter sido realizado manualmente.