Ocupação Jovem – Cultura, Educação e um pouco de polêmica

Confira tudo que aconteceu na última edição da Ocupação Jovem de Guaíra, onde jovens ocupam lugares que são patrimônios da juventude local, para que não sejam esquecidos e para que sejam reatados os laços do jovem com a participação cívica e social. O evento foi um sucesso mas infelizmente um ato de vandalismo “pichou” equivocadamente a imagem dos jovens que participaram do movimento.

A segunda edição do Movimento OCUPAÇÃO JOVEM aconteceu no último sábado, dia 7 de abril, no Lago Maracá de Guaíra. A primeira edição foi realizada no “pranchão” ao lado da Prefeitura Municipal, no dia 2 de fevereiro.

O movimento tem como intuito a mobilização da juventude guairense, para promover a divulgação da cultura, educação, expressão e força construtiva dos jovens ocupando lugares que são patrimônios da juventude local, para que não sejam esquecidos e para que sejam reatados os laços do jovem com a participação cívica e social, incentivando não só o protagonismo social, mas politico do jovem, e mostrando pra esses, que e possível sim a manifestação através da construção e promoção de ideias e ideais, que quando guardados individualmente não passam de utopias, mas se divulgados, questionados e reforçados pelo coletivo, podem sim ser transformados em realidade.

Durante o dia e parte da noite do último sábado, foram apresentadas várias atrações culturais durante o movimento, entre elas, o projeto “Livros que Andam” esteve presente distribuindo livros e incentivando a leitura dos jovens. Houve também a participação da professora de letras Lourraine Zanotim, da cidade de Uberaba/MG, sussurrando poemas com seu “sussurrador de poemas” durante a ocupação inteira.

A apresentação do grupo de dança Urban Dance mostrou seu estilo contagiante de dança e também foi um ponto de grande integração com jovens durante o movimento.

O evento foi finalizado em grande estilo com a apresentação musical recheada de muito “Rock and Roll”, com a dupla Edgar (guitarra e voz) e Wilson Canibal (bateria), grandes músicos que tocaram os maiores clássicos do Rock Nacional e Internacional.

Diferentemente da primeira edição, houveram vários problemas de estrutura no evento, atrapalhando muito a dinâmica dos acontecimentos e trazendo alguns transtornos ao cronograma, que contava com a participação do grupo Eletroafro juntamente com o percussionista de Pitty Dias e o baterista Vinicius, que não puderam se apresentar devido a horários e compromissos anteriormente marcados, que sem dúvida alguma promoveriam uma maior intervenção cultural ao movimento.

Infelizmente, uma pichação na entrada do Parque de Exposições foi associada ao movimento, o que deixou os organizadores indignados.

Vandalismo existe em todos os setores da cidade, uma expressão individual de alguém que nem sabemos se é jovem ou não devido ao anonimato da expressão, que foi questionada, gerando manifestações favoráveis e contraditórias a isso, reforçando ainda mais a diversidade dos ideais da juventude.” comentou Sidnei Ferreira, um dos organizadores do movimento.

De modo geral o movimento Ocupação Jovem vem crescendo e se enraizando em Guaíra, quem foi, pôde conferir e apreciar a difusão de idéias e culturas que se interligam dando volume a toda uma juventude plural, durante o movimento “Ocupação Jovem”.

A comissão organizadora já avaliou as falhas e acertos e em breve estará anunciando a data e local da 3ª edição da Ocupação Jovem.

Quer deixar sua opinião sobre o movimento? Comente! Logo abaixo existe um lugar especialmente organizado para isso.

Veja todas as fotos do movimento clicando aqui.

Publicidade:
Anterior DO FUNDO DO BAÚ
Próxima Procure inspiração