É meio redundante comentar “Tempo de Esperas” porque fala-se muito dele na imprensa. Mas eu não poderia deixar de falar de uma obra tão primorosa do meu ídolo Padre Fábio de Melo, fenômeno da intelectualidade, dedicação, carisma e poder de comoção.

Seu novo livro é simples na linguagem e gostoso de se ler. Nele, um estudante de filosofia escreve a um professor aposentado pedindo informações sobre a dor do amor à luz da filosofia. O professor responde de forma simples, induzindo o moço a plantar um jardim.

Nas várias trocas de cartas entre os dois enxerga-se o quanto a vida vista de forma mais singela é descomplicada e leve, e que para se encontrar a plena felicidade é preciso saber esperar.

Envolvente como “Cartas entre amigos”, escrito por Fábio de Melo e Gabriel Chalita e tocante como “Quem me roubou de mim”, primeira obra famosa do querido padre.

Vale muito a pena ler todos estes que eu cito aqui.

por Janaína S. Vieira Borghetti