Sonho da faculdade de Guaíra começou num ‘encontro de motociclistas’


Sonho da faculdade de Guaíra começou num ‘encontro de motociclistas’De acordo com o professor, José Eduardo Miranda, representante — diretor da Kheiron Educacional S/S, que já é proprietária da Faculdade de José Bonifácio — o primeiro contato para a vinda da faculdade de Guaíra ocorreu em um encontro de motociclistas.

Durante o lançamento oficial da logo da instituição, que foi a pedra fundamental, ele agradeceu publicamente a José Mário Malta — que é cunhado do vereador, Dr. Cecílio José Prates — e segundo o professor Miranda ele e Malta já se conhecem de outros encontros e o guairense teria lhe dito que em Guaíra, havia o sonho da implantação de uma faculdade há muito tempo e que os agentes políticos estariam dispostos a apoiar esta implantação.

Assim teria sido estreitado o contato com o vereador, Dr. Cecílio que conseguiu o apoio dos demais vereadores da Câmara e do prefeito, José Carlos Augusto.

O lançamento da logo serviu para uma apresentação dos diretores da Faculdade de José Bonifácio a comunidade guairense e imprensa, sendo de certa forma uma pedra fundamental, porque apesar da instituição apresentar projeto para ampliação futuras o prédio cedido pela Prefeitura já está pronto. Trata-se do prédio Incubadora de Empresas ‘Heráclito da Motta Luiz”, que há alguns anos chegou a fechar as portas e depois voltou a funcionar precariamente com poucas empresas incubadas.

Outro detalhe a ser ressaltado é que o patrono do prédio será mantido e a FAG — Faculdade de Guaíra — levará o nome de Heráclito da Motta Luiz.

Cursos
Num primeiro momento, a partir de fevereiro do próximo ano, de acordo com o professor Miranda a FAG oferecerá os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Pedagogia, mas posteriormente deverão ser implantados os cursos de Direito, Agronomia, Engenharia da Produção e Engenharia Química.

Encontro de Motociclistas
Tal encontro que gerou o embrião do sonho guairense era um evento tracidional em Guaíra, sendo considerado o daqui um dos maiores do país, que chegou a fornecer know-how para o Barretos Megacycle, maior evento da modalidade no país e altamente rentável para o Clube os Independentes, sofreu severas críticas em e foi extinto. Ao contrário do Barretos Megacycle que começou a crescer nesta época.

Os encontros de motociclistas vítimas do preconceito torpe, tem por debaixo das roupas pretas e de couro — como prova o episódio da FAG — diretores de faculdades, professores universitários, industriais, profissionais liberais e outros turistas que certamente deixam muito dinheiro nas cidade por onde passam, um motivo que levou Os Independentes a investirem neste filão.

Anterior Mercado do Bem espera público recorde
Próxima [Opinião] Para...o quê? Paralelo?