Prestadoras de telecomunicações dão um grande passo no combate do tráfego de spams no Brasil


Prestadoras de telecomunicações dão um grande passo no combate do tráfego de spams no Brasil

Prestadoras de telecomunicações dão um grande passo no combate do tráfego de spams no BrasilSindiTelebrasil participa da implementação da Gerência de Porta 25

Brasília, 24 – As prestadoras de serviços de telecomunicações, representadas pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), participaram hoje, em conjunto com o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e com a Associação Brasileira de Internet (Abranet), do anúncio da última etapa das medidas para a implementação da Gerência de Porta 25. A ação visa diminuir o número de spam enviado a partir de usuários residenciais e significa um grande passo no combate desse mal no Brasil.

O SindiTelebrasil tem participado dos trabalhos, por meio de acordo assinado em novembro de 2011 com CGI.br, Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC). Com o intuito de realizar uma ação de gerenciamento de rede para bloquear os spams, as prestadoras implantarão, até o fim do ano, o bloqueio da chamada Porta 25, que é uma das saídas de e-mail por onde trafega a maioria dos spams, que vão diretamente para o destinatário sem a exigência de autenticação pelo servidor.

A ação será apenas para os usuários residenciais que utilizam programas leitores de e-mails (Outlook, Thunderbird, entre outros). Em um primeiro momento, esse grupo perceberá que a rede está com um desempenho melhor e, principalmente, que houve uma melhoria no desempenho da banda larga da sua máquina. Aqueles que leem e enviam e-mails no site do seu provedor, via webmail, não precisam fazer nenhuma configuração. Quem tiver dúvidas, deve acessar o site www.antispam.br ou procurar seu provedor de e-mails.

A expectativa do SindiTelebrasil com esse trabalho é aumentar a qualidade do serviço para o usuário, melhorar o desempenho da rede e a imagem do País. Segundo estudo do CGI.br, 30% das máquinas no Brasil estão infectadas, sem o conhecimento dos seus proprietários. Com o bloqueio da possibilidade de envio de mensagens através da Porta 25, as prestadoras estarão contribuindo para a diminuição do volume de spam.

Neutralidade – Com o bloqueio da Porta 25, as prestadoras estão realizando mais uma atividade de gerenciamento da rede brasileira em benefício de todos.

O SindiTelebrasil defende que ações desta natureza devam ser implementadas para que as prestadoras realizem medidas de gerenciamento de tráfego que se mostrem indispensáveis à garantia da segurança e à estabilidade da rede.

O SindiTelebrasil reitera que a liberdade de escolha dos assinantes e a livre competição devem ser preservadas e as medidas para gestão e diferenciação do tráfego devem ser informadas previamente e claramente previstas nos contratos com os usuários. Cabe à Anatel, por sua vez, exercer seu papel de órgão fiscalizador para coibir eventuais abusos e bloqueios não permitidos pela regulamentação.

Por fim, o SindiTelebrasil defende também a permanente privacidade e segurança dos usuários da internet no Brasil.

Assessoria de Imprensa SindiTelebrasil
imprensa@sinditelebrasil.org.br

(61) 2105-7455 / (61) 2105-7457

Publicidade:
Anterior Senac investe em cultura e promove Feira de Troca de Livros 2012
Próxima TOTVS promove workshop para empresários em Rio Preto