III FEIRA DO LIVRO DE GUAÍRA E II FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO

Palestra de Abertura aproximou pais, educadores dos objetivos do Programa Cidade que Educa

A palestra do educador e psicólogo Marcos Meier abriu na noite de 14 de setembro, a III Feira do Livro de Guaíra e Fórum Regional da Educação, que acontecem até o dia 16 no Grêmio Recreativo Esportivo Colorado – GREC. O evento é parte das atividades do Programa Guaíra Cidade que Educa. Ele falou para um público formado por cerca de 160 pessoas, entre pais, educadores e gestores da educação.

Ele é um dos maiores especialistas brasileiros na teoria da Modificabilidade Estrutural Cognitiva, a teoria da mediação do psicólogo Reuven Feuerstein, que apresentou a ideia de que inteligência pode sim ser desenvolvida e realçou para pais e educadores o desafio de exercer a atividade de mediador, pessoa que trabalha interagindo com o aprendiz estimulando suas funções cognitivas, organizando o pensamento e melhorando processos de aprendizagem.

Meier destacou que é a interação que desenvolve o cérebro, que provoca o desenvolvimento. Ele falou sobre a importância do papel dos pais que  trabalham fora e quando chegam resumem-se a exigir apenas ordem e disciplina de seus filhos.  “É preciso brincar, fantasiar, bater papo, contar e ouvir história.”. O educador condenou a exposição das crianças e jovens à televisão: “as crianças brasileiras ficam, em média, três horas e cinquenta minutos em frente à TV diariamente. Há uma postura excessivamente passiva ao ver a TV. A criança recebe ordens da TV e passa a esperar que sempre alguém mande o que fazer”, destacou.

O palestrante condenou o bulliyng, ressaltando que educação de verdade enaltece, não humilha. “Pais e professores podem ser desastrosos se forem superprotetores. Eles devem estimular as crianças a tentar de novo. Devem mostrar que não tem problema errar, e quando a criança acerta, deve ser recompensada com estímulos positivos.”

Meier também falou sobre um fenômeno sobre o qual cada dia mais pais se queixam: os jovens e a falta de maturidade. “É preciso deixar o prazer para a hora certa. É preciso esperar. Para que cresçam com autonomia, o jovem precisa ouvir não. Pais não são os melhores amigos de seus filhos. Devem ter autoridade”, afirmou.

O evento é uma promoção conjunta do Instituo Oswaldo Ribeiro de Mendonça, Centro Educacional Ana Lelis Santana, Instituto Social Ana Lelis Santana e Ministério da Cultura.  Maria Inês Marcório Guedes Moreira de Carvalho, diretora do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, uma das entidades promotoras da Feira, falou em nome da presidente do Instituto, Josimara Ribeiro de Mendonça. “O GREC cumpre a sua missão de existir, quando abre suas portas para a comunidade, como fazemos agora”, afirmou.

Escola que prepara para a vida

No dia 15 de setembro, o evento teve a presença do consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, para a área da Educação, Ricardo Orsini.

O professor e engenheiro iniciou sua participação questionando os pais sobre qual escola querem para seus filhos. Sua palestra foi assistida por  cerca de 80 pessoas, entre educadores, professores, pais e gestores de Educação do município de Guaíra e Ipuã, no Centro Cultural e Esportivo Colorado.

Ele apresentou dados da pesquisa realizada que revelam que os pais desejam uma escola que prepare os filhos para a vida e o mercado de trabalho. Segundo o professor, grande parte dos jovens que procuram o mercado de trabalho, não possuem habilidades e competências exigidas na atualidade, o que limita sua empregabilidade.

Segundo o consultor, os alunos brasileiros estudam horas aquém do necessário para o seu desenvolvimento e preparo para os grandes desafios. Como forma de enfrentar esse padrão, Orsini reforçou a importância da aliança entre pais e Escola na formação do aluno. “Aos pais compete a colocação de limites, e a escola normas.”, afirmou.

Adesão

Todas as escolas das redes públicas municipal e estadual de Guaíra e também as escolas particulares foram convidadas a participar do evento. Há a expectativa da presença de alunos de escolas de Miguelópolis, Ipuã, Orlândia e do distrito de São José do Albertópolis.

Participam da Feira as editoras convidadas Abril, Ática, AD Livros, BMB Livros Saraiva e Scipione, com estandes. Durante o dia, são oferecidas atrações  como apresentação de peças teatrais e música, além de rodas de contação de história.

A primeira atividade da Feira foi o Workshop realizado na tarde de 14 de Setembro com Liana Zakia Martins que abordou o Processo criativo em ambiente educacional. A programação foi exclusiva para educadores.

No início da noite, ainda antes da cerimônia oficial de abertura, foi lançada a Etapa Inverno dos Jogos Abertos das Estações de Guaíra, reunindo atletas, escolas e autoridades na Biblioteca Energia do Conhecimento, no Centro Cultural Colorado.

Mais palestras

A programação da Feira do Livro de Guaíra prosseguiu durante toda a manhã e a tarde desta sexta-feira, 16 de setembro, com espetáculos de teatro e música para o público infantil e juvenil. O evento foi encerrado com o espetáculo Gaia Mater-Mvnd – apresentado pela Cia Vocal Enrico Nery, de Franca – SP. Com temas eruditos, internacionais e MPB, “Gaia Mater – Mvndi” trouxe a proposta de integração – ser humano e natureza. Um espetáculo que emocionou e fez o público refletir sobre sua interação com o planeta.

Fotos (clique para ampliar)

Publicidade:
Anterior North Shopping ganhará franquia de moda infantil KIDSTOK
Próxima A arte de receber bem