GUARDA MUNICIPAL ALERTA OS RISCOS DE NADAR NO LAGO MARACÁ

Há muitas décadas é proibido nadar no lago

Com as altas temperaturas dos últimos dias, a Guarda Civil Municipal registrou um aumento nas ocorrências de crianças nadando no Lago Maracá.

Há muitas décadas é proibido nadar no lago. A preocupação da Prefeitura sempre foi com integridade dos munícipes uma vez que nadar em locais inapropriados implica em alto risco de afogamento.

A prática do banho recreativo deve ocorrer em locais seguros, como piscinas e praias com estrutura apropriada, como vigilância de salva vidas treinados.

A Prefeitura de Guaíra disponibiliza gratuitamente piscinas públicas, no CSU – Centro Social Urbano –, Centro de Lazer José Pugliesi Júnior e EMEF Vera Vitali. Os interessados devem procurar o CSU em horário comercial.

Quando os munícipes avistarem alguém nadando no Lago Maracá, a Guarda Municipal deve ser acionada pelo telefone 199. No caso de menores, estes são encaminhados ao Conselho Tutelar que toma medidas acionando os pais ou responsáveis legais.

Mesmo para aqueles banhistas que desfrutarão de momentos de lazer em locais adequados a Defesa Civil disponibiliza algumas dicas cruciais para evitar afogamentos.

Algumas dicas importantes:

  • Conheça bem o local escolhido para nadar, atente para as sinalizações por placas colocadas para alertar do perigo. Não nade se existir a placa ‘proibido nadar’, ‘o banho é proibido’ e outras;
  • Não superestime sua capacidade física;
  • Evite nadar sozinho, tenha sempre companhia. Pode ser o seu socorro;
  • Procure as áreas destinadas a banhistas, seus riscos são menores;
  • Não consuma bebidas alcoólicas e alimentos pesados antes de nadar;
  • Após as refeições faça um repouso mínimo de três horas antes de nadar;
  • Ao sentir dificuldade, não deixe de pedir socorro;
  • Sempre nade paralelo e próximo à margem;
  • Não nade em cavas, cachoeiras e rios;
  • Os banhistas que sabem nadar também devem estar atentos. Muitos se afogam por acreditarem que conhecem o local;
  • Ao identificar um caso de afogamento, não tente nada heroico, chame por socorro;
  • Para salvamento prefira cordas, galhos e boias.
  • Se não houver tempo para aguardar o socorro, procure por alguém próximo que tenha experiência com a água. Peça que a vítima fique de costas para você e evite que ela o agarre para evitar que ambos se afoguem.
  • Ao andar de barco, caiaque, lancha ou jet-ski use sempre equipamentos de segurança, sobretudo coletes salva-vidas;
  • Nunca deixe bebês sozinhos no banho ou crianças pequenas brincando sozinhas próximo a piscinas, rios, açudes, riachos, lagos ou praias;
  • Nas crianças boia de braço não é segurança. Apenas 2,5 cm de água são suficientes para afogar uma criança;
  • Boa parte dos afogamentos acontecem por distrações de apenas 10 segundos, por isto é necessário redobrar os cuidados.
Publicidade:
Anterior CINCO PONTOS DE ATENÇÃO COM O ÓLEO DO MOTOR
Próxima COMISSÃO INOVA E SORTEARÁ ENTRADAS NOS CAMARINS DA FESTA DO PEÃO