SAIBA COMO PROTEGER SEU FILHO DA EXPOSIÇÃO SOLAR

Dermatologista destaca principais cuidados com a proteção solar em crianças

Sabe-se que a pele das crianças é mais sensível ao Sol, por isso é fundamental que tenhamos conhecimento sobre os principais cuidados para evitar danos à saúde dos pequenos. A Dra. Sabrina Talarico, Dermatologista membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) aponta as principais medidas que devem ser adotadas para que as crianças aproveitem o Sol com segurança.

Nesta estação do ano, os cuidados com a proteção da pele devem ser redobrados. “Cada vez mais usamos o termo: comportamento de proteção. Isso vale tanto para os adultos como para as crianças. Um dos principais itens deste comportamento é o uso adequado do filtro solar” destaca a médica.

De acordo com a profissional, este item deve conter como fator mínimo de proteção o FPS 30, recomendado para garantir a segurança durante a exposição solar. Além disso, existem outras condições importantes a serem levadas em consideração, como a maneira correta de se aplicar o produto.

É importante que a aplicação do filtro solar seja feita pelos pais 30 minutos antecedentes a exposição solar e antes mesmo de que a criança vista as roupas de banho, garantindo assim uma melhor cobertura. O produto deve ser reaplicado a cada 2-3 horas ou todas as vezes que houver contato com a água. A reaplicação após imersão a água é particularmente importante, já que nessa época do ano as crianças costumam aproveitar para brincar no mar ou piscinas. Por mais que o filtro solar seja “a prova d´água” o potencial de proteção é reduzido nessas situações.

Outra dúvida muito frequente por parte dos pais é em relação a escolha do filtro solar para as crianças, de acordo com a Dra., as substâncias presentes nos filtros podem basicamente ser divididas em dois grupos: orgânicas e
inorgânicas. Os primeiros (também chamados de químicos) agem através de reações químicas que ocorrem dentro das células, já os inorgânicos ou físicos, atuam através da reflexão da luz solar.

“A partir dos 6 meses de vida, recomenda-se o uso do filtro sempre que necessário, dando preferência aos produtos que sejam compostos principalmente por substâncias inorgânicas, que oferecem menor risco de alergias. Geralmente são denominados infantis ou pediátricos. Antes dos 6 meses, a criança deve ser protegida pelo uso de roupas.” destaca Dra. Sabrina.

Além do filtro solar, existem outras medidas fundamentais para a proteção da pele, como o uso de vestuário (camisetas chapéus, bonés, óculos escuros) inclusive existem roupas e acessórios com proteção UV. Procurar proteção de sombras, guarda-sóis e evitar o horário de pico de radiação (das 10:00 as 16:00).

“O sol que tomamos no início da vida pode impactar de forma crucial o surgimento de câncer de pele na vida adulta. É nosso papel ampliar a consciência dos danos solares e divulgar/adotar um comportamento de proteção!” ressalta a médica.

As crianças são muito mais receptivas às informações preventivas. Introduzir hábitos de fotoproteção desde cedo pode modificar comportamentos e até influenciar a posição dos adultos! Seja consciente e preze por sua saúde!

– Dra. Sabrina Talarico – Dermatologista
Graduada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro no ano de 2004. Seguiu a Residência de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro no ano de 2005 e posteriormente a Residência de Dermatologia do Hospital Celso Pierro da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, no período de 2006-2008. Desempenha função de médica colaboradora na Unidade de Cosmiatria, Cirurgia e Oncologia do Departamento de Dermatologia da Escola Paulista de Medicina da Unversidade Federal de São Paulo, como preceptora dos residentes do Departamento de Dermatologia no Setor de Dermatologia.
Publicidade:
Anterior TOCANDO A NUVEM: CONHEÇA OS MELHORES SERVIÇOS DE ARMAZENAMENTO E SEGURANÇA DE ARQUIVOS NA INTERNET
Próxima COLETA SELETIVA:  MEIO AMBIENTE, ECONOMIA E INSERÇÃO SOCIAL