Uma diminuta parcela da comunidade despeja lixo na beira das avenidas e estradas redundando em gastos desnecessários à municipalidade

A falta de consciência de uma minoria da população faz com que alguns pontos da cidade fiquem muito sujos. Na avenida José Garcia Junqueira (Estrada da Mata) as equipes do Departamento de Serviços Urbanos e Limpeza Pública promoveram significativas melhorias cercando a valeta de escoamento com a colocação de guardrails ecológicos – reaproveitando pneus usados –  concomitantemente estão executando: a limpeza e roçada de todo trecho urbano da avenida. Ações que ocorrem regularmente em todas estradas e avenidas na zona urbana.

Entretanto algumas pessoas descartam, de forma irregular, sacos e sacolas com dejetos. Mau hábito injustificável, porque, a cidade conta com a coleta efetiva e regular do lixo doméstico.

Devido a esta nociva prática, a Prefeitura tem que empenhar gente e recursos, para recolher um material que nunca deveria ter sido jogado naquele local.

“Gostaria que o pessoal tivesse consciência e não jogasse lixo na beira de avenidas e estradas, porque dá mais trabalho e custa muito mais caro recolher esses detritos. Peço as pessoas, que coloquem o lixo doméstico de forma correta, na porta de seu imóvel, nos dias e horários habituais. O tempo que a equipe gasta para recolher lixo em local inadequado, poderia ser utilizado para o serviço de limpeza, coleta de entulho de quintal, limpeza de galerias e outros serviços rotineiros da Prefeitura, deixando nossa cidade mais limpa e bonita”, indica o Chefe de Serviços Urbanos, Valter Alves dos Santos Júnior.

O descarte de dejetos em locais impróprios, de forma irresponsável, ocorre em todos os cantos da cidade. O parque Maracá é a vítima mais frequente da prática daninha ao bom urbanismo, que redundaria na piora do aspecto visual da cidade.