REDES DE FRANQUIAS APOSTAM NOS FINGER FOODS

Esqueça aquela história de que comer com as mãos é feio. A nova tendência alia praticidade grandes faturamentos

Finger food, na tradução do inglês é comida de dedo ou comida para se comer com as mãos. Comidinhas, snacks, porções e afins sempre estiveram presentes no paladar do brasileiro e redes de franquia especializadas no segmento estão indo muito bem.

Segundo Lucas Atanazio Vetorasso, estrategista na área e CEO do Grupo ATNZO, franquias de alimentação rápida finger foods são um bom negócio desde que se preocupem com o básico. “O Mix de Produtos é o grande gargalo de empresas de alimentação. As modinhas neste segmento chegam com produtos sazonais e insuficientes pensando que são a bola da vez, que vieram pra ficar.

Todos pensam. Pura inexperiência. O mix de produtos principal (core business), se sazonal, deve vir acompanhado de mix complementar.

Não há segredos. Para simplificar, posso dizer da seguinte maneira. Se seu horário de funcionamento é das 8h às 18h, tenha produtos que vão fazer vendas da abertura ao fechamento.

O segredo é atingir o mesmo público com um mix completo e, ao mesmo tempo, compacto”.

Uma franquia que tem alcançado grandes números é a Fritos no Cone. A empresa já existe há alguns anos e começou nas mãos de dois jovens do interior de São Paulo por meio de uma Kombi adaptada.

Leonardo e Rogério já contam com modelos variados de negócios da marca e franquias em expansão pelo Brasil, além de uma unidade em implantação em Cancun, no México.

Abrir uma franquia de batata frita no cone pode ser um grande empurrão para a independência financeira, mas Leonardo concorda com a alerta de Atanazio em suas colocações. “Quando começamos, havia somente a batata no cone. Mesmo com sabor e corte únicos, enxergamos a necessidade de ampliação do Mix de Produtos para que tivéssemos maior fidelização dos clientes. Deu muito certo.

Hoje, nosso cardápio conta com carnes em cortes especiais, frango frito, salgados, nossa deliciosa batata, e a exclusividade, prata da casa, nossa Coxinha Vulcão.”

Através de suas aptidões e entendimentos em gastronomia, vemos muitas marcas crescerem e se desenvolverem com produtos de alimentação rápida que contem baixo ticket médio, porém grande circulação.

Outra dica de grande valor, é a padronização completa do negócio, conta Atanazio. “Uma das maiores preocupações do franqueado que busca investimentos, deve ser seguir padrão e, não apenas nos produtos servidos, mas em tudo.

Seguir padrão é ter mais chances de replicar o sucesso que a marca possui em sua unidade piloto. Uniforme, decorações, postura. Tudo deve ser levado em consideração.”

E você? Já pensou em montar um negócio que comercializa algo que as pessoas simplesmente adoram? Coxinha, batata frita, frango. São tantas as delícias por aí que chega a dar água na boca.

Muitas pessoas buscam franquias ao invés de se aventurar em um negócio totalmente novo para que ganhe espaço no mercado de maneira mais rápida e segura.

Outra dica é a identificação com a área de atuação. “Se você é vegetariano, não venda carne”, diz Lucas, de maneira bem objetiva e conclui. “Qualquer que seja o negócio, a identificação com a área é indispensável. Ninguém quer acordar e se ver refém de um negócio, o qual não tem nada a ver com seu perfil”.

Antes de escolher sua franquia, analise se possui todo material de apoio, orientação e desenvolvimento de como fazer auxilia-lo em sua unidade, inclusive na escolha do ponto comercial assim como adequações e layouts de obras a serem executadas no imóvel.

Analisando todos os detalhes e tendo certeza deste passo, comece imediatamente a correr atrás dos seus sonhos. Bons negócios!

Publicidade:
Anterior BARRETOS: EXPOSIÇÃO “VIVENDO CORA CORALINA” NA BIBLIOTECA DO UNIFEB
Próxima CRIANÇA SEGURA: COMO PREVENIR QUEIMADURA