Hemitartarato de zolpidem melhora a qualidade e a manutenção do sono com baixa interferência em funções cognitivas1,2

 

 

São Paulo, 26 de março de 2019 – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo medicamento similar da Sandoz para o tratamento de insônia ocasional, transitória ou crônica, o hemitartarato de zolpidem em comprimidos. 

 

Estudos constataram que este princípio ativo melhora a qualidade e a manutenção do sono, reduz a sonolência diurna3, tem baixa interferência em funções cognitivas e não ocasiona insônia de rebote ou sintomas de retirada1,2. O medicamento é indicado para adultos e deve ser usado conforme indicação médica. 

 

“A aprovação deste novo medicamento similar reforça o compromisso com paciente e o comprometimento da Sandoz em ampliar o acesso da população a tratamentos com a excelência e qualidade do Grupo Novartis”, afirma o Head da Unidade de Negócios SNC da Sandoz, Rodrigo Salman. 

 

hemitartarato de zolpidem da Sandoz está disponível nas apresentações de 30 e 20 comprimidos de 10 mg e chega ao mercado custando 38% menos que o medicamento referência, contribuindo para ampliar o acesso da população a tratamentos de qualidade. 

 

Insônia – Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 108 milhões de brasileiros têm algum distúrbio do sono. Destes, 40% sofrem de insônia4. Entre os adultos, um em cada três relata ter insônia, sendo que 10% a 15% apresentam prejuízos diurnos associados5Além disso, estudos mostram que a insônia é ainda mais prevalente em mulheres6.

 

insônia crônica ocorre quando o indivíduo tem dificuldade para iniciar o sono ou para continuar dormindo de forma frequente por, no mínimo, três vezes por semana e, pelo menos, por três meses consecutivos7,8. Após uma noite insone, os sintomas mais frequentes são cansaço, diminuição do humor e irritabilidade, dificuldade de atenção, concentração e memória, acarretando também prejuízo social e propensão a erros8.  

 

As causas da insônia são diversas. Ansiedade, depressão e até o estilo de vida moderno, com compromissos e preocupações7, podem levar ao desenvolvimento da doença. 

 

Além do tratamento medicamentoso, pacientes que sofrem de distúrbios do sono devem manter hábitos saudáveis e adotar técnicas de relaxamentoÉ importante também adotar medidas de higiene do sono, como deitar sempre no mesmo horário, dar preferência a alimentos leves no jantar, praticar atividades físicas durante o dia, evitar bebidas com cafeína e terapia cognitiva-comportamental7,8.

Sobre a Sandoz

A Sandoz é uma líder global em medicamentos genéricos e biossimilares. Como divisão do Grupo Novartis, nosso propósito é descobrir novas maneiras de melhorar e prolongar a vida das pessoas. Contribuímos com a sociedade, apoiando crescentes necessidades de cuidados de saúde, por meio abordagens inovadoras para ajudar as pessoas em todo o mundo a terem acesso a medicamentos de alta qualidade. Nosso portfólio possui aproximadamente 1.000 moléculas, abrangendo todas as principais áreas terapêuticas. Em 2017, as vendas da companhia representaram US$ 10 bilhões e nossos produtos atingiram mais de 500 milhões de pacientes. A Sandoz está sediada em Holzkirchen, na região de Munique, na Alemanha.

Referências:

1.             Roehrs TA et al.Twelve months of nightly zolpidem does not lead to rebound insomnia or withdrawal symptoms:a prospective placebocontrolled study. J Psychopharmacol. 2012;26:1088–1095.
2.             VermeerenA et al.Acute effects of zolpidem and flunitrazepam on sleep, memory and driving performance,compared to those of partial sleep deprivation and placebo. Acta Ther. 1995;21:47–64.
3.             Allain H et al. Efficacy and safety of zolpidem administered “as needed” in primary insomnia. Clin Drug Investig. 2001;21:391–400.
4.             Hirotsu C et al. Sleep complaints in the Brazilian population: Impact of socioeconmics factors. Sleep Science 7(2014) 135 -142. Disponível em: http://sleepscience.org.br/details/181/en-US/sleep-complaints-in-the-brazilian-population–impact-of-socioeconomic-factors. [Acesso 10 jan 2019].
5.             American Psychiatric Association. DSM-V – Diagnostic and statistical manual of mental disorders. Arlington, VA: American Psychiatric Association; 2013. p. 362-8.
6.             Roth T. Insomnia: Definition, Prevalence, Etiology, and Consequences. J Clin Sleep Med. 007 Aug 15; 3(5 Suppl): S7–S10. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1978319/. [Acesso 10 jan 2019].
7.             Sateia MJ. International classification of sleep disorders – third edition: highlights and modifications. Chest. 2014 Nov;146(5):1387-94.
8.             Perlis ML, Jungquist C, Smith MT, Posner D. Cognitive behavioral treatment of insomnia: a session-by-session guide. New York: Springer- -Verlag; 2005.