São Paulo, 14 de maio de 2019 – Mais de dois terços dos brasileiros que consomem bebidas alcoólicas deixaram de dirigir após beber e passaram a usar aplicativos de mobilidade nessas ocasiões, de acordo com pesquisa do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), realizada pelo Datafolha com o apoio da Uber. O objetivo da pesquisa é chamar atenção para a campanha do Maio Amarelo – iniciativa global que tem como objetivo a sensibilização em relação à segurança no trânsito e redução de acidentes.

O levantamento também aponta que 83% dos brasileiros concordam que os aplicativos de mobilidade contribuíram com a diminuição de mortes no trânsito, assim como 81% consideram que os apps deixaram o trânsito mais seguro, de forma geral. Dados do Ministério da Saúde divulgados no ano passado apontam que, após o endurecimento da Lei Seca, o número de óbitos em acidentes de trânsito caiu de 44,8 mil em 2012 para 37,3 mil em 2016, uma redução de 17%.

Segundo o Datafolha, a mudança de comportamento em relação a bebida e direção pode ser observada principalmente entre os mais jovens até 24 anos, onde 75% concordaram que trocaram o volante pelo aplicativo quando vão consumir bebida alcoólica. Essa faixa etária é a que mais prefere usar aplicativos na hora de beber. Entre a população de 60 anos ou mais essa é a escolha de 59%.

De acordo com o levantamento, a utilização dos apps de mobilidade para ir a festas, restaurantes e comemorações chegam a 49% entre os residentes das regiões metropolitanas do país. E, o principal motivo (50%) para utilizarem essa opção é a segurança (medo de assaltos e acidentes envolvendo bebida e direção).

O estudo apontou ainda que 64% dos entrevistados concordam que as pessoas no passado combinavam bebida e direção por falta de opção de transporte e 73% dos brasileiros consideram que as pessoas deixaram de beber e dirigir por conta da chegada dos apps.

Na região metropolitana de São Paulo, local com o maior número de viagens de Uber no mundo, o percentual de entrevistados que concordam que as pessoas deixaram de beber e dirigir para usar apps fica em torno dos 85%. Além disso, a percepção sobre o impacto dos apps na redução de mortes no trânsito, alcança 86% de concordância entre esses entrevistados. Ainda entre os entrevistados da RM de São Paulo, 77% passaram a usar mais os aplicativos de mobilidade para ir a festas, comemorações, bares e baladas e 85% concordam que os aplicativos vem deixando o trânsito mais seguro.

“A decisão de ontem do Supremo Tribunal Federal definindo que a competência para regulamentação e fiscalização do transporte privado individual de passageiros, os municípios e o Distrito Federal, não podem contrariar os parâmetros fixados pelo legislador federal e a Constituição Federal, foi acertada. A pesquisa destaca pontos importantes da percepção da sociedade onde 83% dos brasileiros concordam que os aplicativos de mobilidade contribuíram com a diminuição de mortes no trânsito, e que 81% consideram que os apps deixaram o trânsito mais seguro” reforça José Aurélio Ramalho, presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Dados da pesquisa Datafolha*:

  • Entre os brasileiros que consomem bebida alcoólica, 68% deixaram de utilizar carro próprio para utilizar apps de mobilidade quando bebem. Entre os mais jovens, o uso de apps nesse contexto chega a 75%. Entre os entrevistados residentes na Região Metropolitana de São Paulo, esse número chega a 81% e no Rio de Janeiro também fica acima da média nacional com 77%.

Entre os residentes das regiões metropolitanas, 49% das pessoas dizem ir para festas, baladas e comemorações utilizando apps, 33% carro próprio, 24% transporte público, 6% táxi, 4% outros. Em São Paulo, apesar da liderança do uso de apps (44%), o transporte público com 32% fica acima da média nacional. No Rio de Janeiro, o uso de apps chega a 59% das pessoas, enquanto que o transporte público (30%) supera o uso de veículo próprio (23%) na hora de irem para festas.

O principal motivo (50% dos entrevistados) para as pessoas utilizarem o transporte por app para retornar de festas, bares e comemorações é a Segurança (medo de assaltos e acidentes envolvendo bebida e direção), seguido por Praticidade/Conveniência (como falta de local para estacionamento) com 30%, Menor Tempo de Viagem com 21%, Custo/Benefício com 16%, Horário da Noite com 14% e Dificuldade de Transporte Público com 9%. Outros motivos foram apontados por 7%.

* Resposta múltipla

  • 83% dos brasileiros concordam que os aplicativos de mobilidade contribuíram na diminuição de mortes no trânsito no País.

81% dos brasileiros concordam que os aplicativos de mobilidade deixaram o trânsito mais seguro.

67% dos brasileiros concordam que os amigos e parentes passaram a deixar mais o carro em casa e utilizar mais os apps de mobilidade para ir a bares, restaurantes, baladas e comemorações.

78% dos brasileiros acreditam que é bastante comum a pessoas utilizarem apps quando saem para beber.

64% das pessoas concordam de que no passado, as pessoas bebiam e dirigiam por falta de opção de transporte.

77% dos brasileiros acreditam que a população passou a usar apps de mobilidade em vez de sair de carro quando consomem bebida alcoólica. Entre os que utilizam o app, esse número sobe para 89%.

69% dos brasileiros concordam com a ideia de que seus amigos e parentes passaram a usar apps de mobilidade em vez de sair de carro quando consomem bebida alcoólica. Entre os que utilizam o app, esse número sobe para 86%.

73% dos brasileiros concordam que muitas pessoas deixaram de beber e dirigir porque agora podem utilizar os apps de mobilidade

45% dos brasileiros declaram consumir bebida alcoólica mesmo que de vez em quando. O percentual é maior entre os homens com 52% contra 39% das mulheres.

A faixa de idade que mais consome bebida alcoólica é dos 25 aos 34 anos com 56%

*A pesquisa foi feita com 3.531 pessoas entre os dias 02 e 10 de abril de 2019 e tem margem de erro de 2%. O estudo teve abrangência nacional, incluindo capitais, cidades de outras Regiões Metropolitanas e cidades do interior, de diferentes portes, em todas as Regiões do Brasil.

SOBRE O OBSERVATÓRIO NACIONAL DE SEGURANÇA VIÁRIA

OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária – ONSV, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, fundada em 2011 por ocasião da Década de Redução de Acidentes de Trânsito, decretado pelo ONU – Organização das Nações Unidas e OMS (Organização Mundial de Saúde), com o propósito de desenvolver ações que contribuam de maneira efetiva para a diminuição dos elevados índices de acidentes no trânsito do nosso país.

Atuamos como um produtor de conteúdos desenvolvidos por meio de estudos, pesquisas, planejamento e informação, para subsidiar entidades públicas e privadas em ações que impactem na redução do número de acidentes e consequentemente de vidas humanas e gastos públicos.

O OBSERVATÓRIO atua como Organização Consultora Especial junto ao ECOSOC (Conselho Econômico e Social) da ONU (Organização das Nações Unidas) e tem o apoio da UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação a Ciência e a Cultura ) no Brasil e está alinhado a seis dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.