Em março de 2016, a pequena Julia Mota Martins tinha só 7 anos e já possuía uma batalha e tanto pela frente: enfrentar uma leucemia. A família de Cascavel buscou tratamento em São Paulo, precisou se deslocar várias vezes de uma cidade para outra, até que a rotina intensa de procedimentos exigiu que se mudassem para frente do hospital paulista. Ao longo de quase três anos de luta contra o câncer, além dos oncologistas, um profissional, em especial, foi fundamental para que Julia pudesse seguir com o tratamento sem maiores complicações: o dentista.

Mantê-la com a saúde bucal impecável foi essencial para que a pequena pudesse passar pelo transplante de medula óssea sem sofrer consequências graves. “Ela tinha que estar com a boca totalmente tratada, não podia ter nenhuma bactéria porque isso poderia tomar conta do organismo por inteiro. Então sempre foi essencial fazer o acompanhamento odontológico. Durante o tratamento também foram feitas aplicações de laser na boca dela e isso reduziu bastante o surgimento de mucosite”, comenta Taiane Mota, farmacêutica e mãe da Julia.

Os benefícios poderiam ter sido ainda maiores se os cuidados com a saúde bucal tivessem começado antes. A paciente precisou iniciar as quimioterapias com agilidade e só cerca de seis meses depois foi possível ter um atendimento odontológico do próprio hospital. “Demoramos para voltar para Cascavel e quando voltamos ela já estava com mais de cinco cáries, porque a quimioterapia tem esse reflexo de enfraquecer os dentes. Teve uma vez que ela teve que fazer oito obturações. Foi bem cansativo, tínhamos que controlar quando a plaqueta estava boa ou não para fazer as obturações. Se ela tivesse, desde o início, começado com o acompanhamento com dentista, teria sido mais tranquilo”, complementa Taiane.

Hoje, aos 10 anos, Julia está liberada do tratamento, vivendo sem o câncer, mas precisa continuar com cuidados rigorosos com a saúde bucal e encontrou em Cascavel uma clínica especializada para isso, que vai atendê-la rotineiramente para remover infecções, controlar a higiene, iniciar avaliação ortodôntica e dar sequência nas extrações, tudo com aval do médico oncologista que a acompanha. “Para ela vai ser espetacular tratar aqui sem precisar ir para São Paulo”, comemora a mãe da paciente.

Esse é um de diversos exemplos de pacientes que alcançaram resultados mais satisfatórios no tratamento contra o câncer por conta do acompanhamento correto de um dentista. “Quero dar condições para que mais pessoas continuem o tratamento oncológico sem terem que interrompê-lo por conta de uma lesão bucal. Com terapias de suporte simples e acessíveis podemos trabalhar de forma preventiva e minimizar o efeito das quimioterapias e radioterapias em pacientes de todas as idades”, explica Marciane Silvestro Fiori, cirurgiã dentista que atua em Cascavel especificamente com pessoas em tratamento contra o câncer.

A profissional

Marciane Silvestro Fiori é cirurgiã dentista formada pela Unioeste. Atualmente cursa especialização em Odontologia Hospitalar pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo, além de habilitação em Laserterapia.