De 12 a 21 de julho ocorre o 23º Encontro Cultural de Arte Livre – ECAL – promete muita arte e entretenimento para o público guairense, com todas as atrações gratuitas para o público o maior evento cultural da região será fechado com show da Banda Ira!

As artes cênicas sempre merecem destaque no Ecal e neste ano não será diferente. A grade está recheada de atrações, peças teatrais, musicais e até oficina. Veja os principais atrações na seara teatral

Dia 13 de julho – Sábado: Espetáculo de Teatro e Dança de Salão, “Quero Ser-Tão” , as 20h00, categoria livre para todos os públicos, espetáculo organizado e produzido pelos professores da Associação de Desenvolvimento Cultural de Guaira “Águas Correntes” (ACOR) com o apoio do Departamento de Cultura, que engloba além de muita dança de salão, um roteiro teatral enfatizando a vinda do sertanejo para a cidade grande. Espetáculo de grande beleza e aceitação.

Dias 15 e 16 de julho – Oficina de Palhaço, com a professora Priscila Jácomo – , horário das 09h00 as 13h00. Público alvo: Para todos os interessados linguagem do palhaço. Não é necessário nenhum tipo de experiência anterior. Nessa oficina-vivência os participantes vão experimentar a máscara do palhaço, a menor máscara do mundo, aquela que esconde um nariz e revela um ser humano. Através de jogos e improvisações todos vão vivenciar erros, acertos, tropeços, confusões, e principalmente a liberdade de poder incluir isso tudo em sua vida e ser quem se é.

Priscila Jácomo é atriz, dramaturga, palhaça e produtora cultural. Criou os espetáculos solos ‘Cuidado Frágil’ e ‘S.O.S.Quase Tudo’. Produziu e dirigiu os documentários ‘O Circo Paraki’ e “A Alegria da Terra” e idealizou o projeto “Povo Parrir”.

Dia 19 de julho – Teatro Infantil: “A Cinderela” – às 17h00, classificação: Infantil, Direção e Coordenação Daniel Penasforte

Dia 20 de julho – Espetáculo Teatral: “A próxima estação: um espetáculo para ler” com ator Cacá Carvalho, às 20h00

  • O ator Cacá Carvalho ficou conhecido do grande público como o personagem Jamanta, explorado em duas novelas de Silvio de Abreu, Torre de Babel (1998) e Belíssima (2005). Sua trajetória teatral, no entanto, é repleta de desafios desde que despontou em Macunaíma (1978), dirigido por Antunes Filho, até os elogiados monólogos A Poltrona Escura (2003) e 2 X 2 = 5 — O Homem do Subsolo (2015). Novamente só no palco, o intérprete radicaliza em uma antiencenação batizada de A Próxima Estação — Um Espetáculo para Ler e comprova que da extrema simplicidade pode ser extraída uma obra de arte. A trama se inicia em 2015, com Massimo e Violeta se refrescando em uma praia. O jovem casal relembra um passado de rejeição e fala sobre o desemprego de um deles. O ator altera delicadamente o tom da voz para diferenciá-los e salta uma década para renovar os conflitos. As inflexões parecem mais adultas e, em uma época adiante, Carvalho já usa um recurso grave para os maduros Massimo e Violeta. Desejos incompatíveis, traições e conflitos domésticos marcam os 50 anos de convivência da dupla, que, em um apocalíptico ano de 2065, une esforços para sobreviver a uma rotina mecânica e desprovida de prazer. O que poderia ser apenas uma leitura dramática é apresentado como uma história de amor que atinge um caráter, inclusive, político. Não à toa provoca o espectador sobre a importância de cultivar um sentimento para enfrentar as transformações da sociedade e, na contramão de muitas montagens, o obriga a prestar atenção em cada palavra para ser arrebatado pelo espetáculo. Estreou em  10/11/2016. Direção: Michele Santeramo, Duração: 80 minutos e recomendado para maiores de 12 anos.

Dia 21 de julho – Espetáculo de dança “Cabaré”, horários: 16h00 e as 18h30, espetáculo, cheio de luz e jazz, inspirado no clima dos antológicos cabarés conde músicos de jazz e cantores convivem com dançarinas embalados por um maravilhoso repertório musical.