Durante uma viagem, é normal que queiramos degustar os sabores locais e aprender um pouco mais sobre a cultura culinária da cidade, estado ou país em que estamos. Ter um almoço gourmet quando se está viajando, é sempre uma excelente ideia, não é verdade?

Nem todos os viajantes, no entanto, sabem como conferir se um determinado restaurante ou espaço é interessante para se aventurar nos diversos paladares existentes. 

Isso pode ser um pouco frustrante, uma vez que pode nos levar a comer em lugares que não nos agradam, que estão aquém do nosso gosto ou que não possuem o asseio que desejamos.

Existem algumas dicas de ouro para quem deseja provar novos pratos durante suas expedições pelo Brasil e pelo mundo. Se você é apaixonado por viagens e acredita que a experiência gastronômica faz parte de qualquer roteiro relevante, leia este artigo!

Como fazer as escolhas alimentares certas durante uma viagem?

O primeiro passo é fazer um breve estudo sobre o local para onde você irá. Existem inúmeros sites que falam sobre os ingredientes e as particularidades de cada cultura. Assim, vale fazer uma pesquisa e conferir quais são as informações que mais se repetem.

Digamos, por exemplo, que você tenha morado em São Paulo por toda a sua vida, e que está indo para um passeio no Nordeste. Embora você já tenha tido contato com a culinária nordestina, que está presente no Brasil como um todo, nada se compara ao que é conhecê-la “na raiz”.

A culinária do Nordeste é fortemente influenciada pelas suas condições geográficas e históricas, como não poderia deixar de ser. Assim, temos pratos com certo teor calórico, com uma quantidade significativa de tempero, cores mais vivas e, em alguns casos, pimenta forte.

Se você não é fã de frutos do mar, pode se decepcionar um pouco, uma vez que o forte de determinadas localidades, como a Bahia, é exatamente a experimentação feita com peixes, camarões e moluscos.

Durante passeios de maior extensão, é um pouco mais difícil manter uma dieta rígida, em especial se você possui muitas restrições alimentares. Em cidades grandes ou onde há grande concentração de pessoas, você certamente encontrará muitas opções.

Em locais pequenos, como vilarejos de pescadores, cidades do interior ou muito afastadas dos centros urbanos, você possivelmente terá que fazer algumas concessões.

Como escolher o lugar certo?

Você já fez a sua pesquisa e já sabe qual é o tipo de comida que gostaria de provar. O próximo passo é encontrá-la.

Embora o cotidiano acabe apresentando novas possibilidades – afinal, você nunca sabe o que pode encontrar quando dá um passeio despretensioso pela cidade -, existem alguns pratos que você realmente vai querer provar durante uma viagem.

A internet é uma excelente aliada no processo de encontrar restaurantes confiáveis, especialmente em aglomerados urbanos. Mesmo em cidades menores, é possível achar comentários e resenhas que facilitarão a sua vida.

Se você prefere testar possibilidades sem se deixar afetar ou influenciar pela opinião de terceiros, existem algumas dicas que podem ajudá-lo a escolher, entre os restaurantes, barracas ou feiras que surgirem no seu caminho, quais são as opções mais saborosas e seguras. Confira:

Na dúvida, siga o fluxo

Se você está em uma grande feira, observe as barracas. Qual é aquela que tem mais gente? Quais são os alimentos disponíveis? Os valores cabem no bolso? Se são um pouco mais salgados, isso pode ser um bom sinal: afinal, mesmo com valores mais baixos ao redor, as pessoas preferiram aquela barraca em específico.

Pergunte aos locais

Você comprou uma garrafa de água em um pequeno estabelecimento, que não possui comida à venda. Você pergunta ao rapaz do caixa qual é o melhor restaurante da região. Ele dá a opinião dele. Você agradece e sai.

Você tem o mesmo diálogo com algumas pessoas que vivem na região que você está visitando durante um ou dois dias. Possivelmente, alguns nomes irão se repetir – para o bem e para o mal. Faça uma seleção entre os estabelecimentos que foram sugeridos e vá de peito aberto.

Confira as condições de higiene

É importante em qualquer lugar, em qualquer momento. Se a pessoa que está responsável por coletar o dinheiro é a mesma que sova a massa, corra. Se ninguém usa rede no cabelo e luvas são inexistentes, talvez seja uma boa ideia buscar uma segunda opção.

Observe o entorno. Prefira alimentos locais (consumir peixes perto do mar, frutas da época…). O bom senso é a regra.

Respeite as limitações do seu organismo e não tenha pressa

Lembre-se que nem sempre o seu corpo está adaptado aos sabores, temperos e personalidade locais. O que isso significa? Que, se o seu estômago é muito sensível, você pode passar mal ao misturar muitos sabores no mesmo dia.

Tenha parcimônia: se você não está acostumado a comer pimenta, não peça o prato mais apimentado do cardápio no seu primeiro dia. Vá se adaptando aos poucos às diferenças e sutilezas de cada local. Assim, você aproveitará muito mais a sua viagem.