São Paulo, 01 de julho de 2019 – Com as festas juninas as vendas de grãos de milho aumentam em até 15%, segundo dados da Associação Paulista de Supermercados. Atenta a este mercado, a Tia Pipoca Gourmet, primeira empresa de pipoca de calda quente do Brasil, divulga pesquisa inédita e os dados mostram o potencial do mercado de pipoca no Brasil. A pesquisa foi realizada pela Maia Research Analysis, empresa líder mundial em consultoria de mercado internacional.

O Brasil é o segundo maior consumidor de pipocas do mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Em 2018, os brasileiros consumiram aproximadamente cerca de 260 mil toneladas de pipoca o que movimentou US$ 628 milhões de dólares. E a projeção é de crescimento. Segundo dados da pesquisa, a expectativa é que em 2024, o consumo dos brasileiros chegue a 385 mil toneladas movimentando cerca de US$ 850 milhões de dólares.

Regiões. Os dados revelam ainda que a região Sudeste é a que mais consome pipoca (56%), seguida da região Sul (16), Nordeste (13%), Centro-Oeste (9%) e Norte (5%). “É um mercado que vem crescendo desde 2014 em todas as regiões do país e há perspectiva de crescimento em todas as regiões até 2024”, explica Carlos Alberto da Silva, fundador da Tia Pipoca Gourmet.

Desde 2014, as vendas tem crescido em todas as regiões do Brasil. Em 2018, a região sudeste vendeu 148 mil toneladas e a região Sul cerca de 44 mil toneladas. Já a região Nordeste vendeu 35 mil toneladas. A região Centro-oeste comercializou 24 mil toneladas e a região Norte uma média de 14 mil toneladas.

Consumo. A pesquisa revela ainda o perfil dos consumidores. Em 2018, dos consumidores, cerca de 63% optaram pela pipoca pronta para comer, ou seja, a industrializada que é vendida no pacote. Já 37% dos consumidores preferiram a pipoca de microondas. Em 2018, o consumo da pipoca industrializada, ou seja, pronta para comer foi de 169 mil toneladas. Já a pipoca de microondas, o consumo foi de foi de 97 mil toneladas. Atualmente, a pipoca pronta para comer domina o mercado responsável por 77% da oferta. Ano passado, o mercado da pipoca pronta para comer movimentou US$ 486 mil dólares.

Comportamento do mercado. Atualmente, 58% os consumidores preferem comer a pipoca na rua e 42% preferem comer a pipoca em casa. “É um mercado que as pessoas associam pipoca à diversão, cinema, e o que nós queremos é justamente mudar este conceito, sim, você pode comer a pipoca com o gosto de casa só que na rua, não necessariamente em casa ou no cinema. Queremos o gosto da pipoca caseira sendo consumida na rua”, acrescenta Silva.

Tia Pipoca Gourmet – Inspirada no paladar brasileiro, a Tia Pipoca Gourmet criou novas e diferenciadas versões de pipocas doces e salgadas. E os sabores são regionais. As pipocas salgadas são vatapá, oriental, grano padano nacional, flor de sal temperada com ervas e alho leve,manteiga aromática I e II e sal do himalaia. A versão tradicional também é vendida e não leva cobertura. Já as pipocas doces, todas feitas em óleo vegetal, são oferecidas em quatro sabores: rapadura com cumarú, café, brigadeiro ao leite, chocolate branco e a de paçoca criada especialmente para as festas juninas. A pipoca é servida com calda quente, o que apura o sabor e refina ainda mais a experiência. O conceito de pipoca gourmet vem se espalhando pelo país e conquistando o gosto do público. Quem já gostava de pipoca vai se surpreender ao provar a evolução de um alimento já tão familiar.

Com lojas no Pátio Metrô São Bento e no Hospital Albert Einstein, a previsão é que mais uma loja seja inaugurada ainda este ano na capital. Para o próximo ano, a expectativa é que sejam inauguradas duas lojas, uma no interior de São Paulo e outra no Rio de Janeiro. O endereço eletrônico da Tia Pipoca Gourmet é www.tiapipocagourmet.com.br.