As Embaixadoras Simone e Simaria e Gusttavo Lima estão entre os principais shows do evento (Fotos: Bruno Revolta)

A grandeza da Festa do Peão de Barretos é conhecida em todo o mundo e vai muito além do entretenimento e das mais importantes disputas de rodeio do País. São mais de 10 mil empregos diretos e indiretos gerados para poder fazer funcionar a engrenagem durante os 11 dias do evento, considerado o maior da América Latina.

A cidade de Barretos tem aproximadamente 120 mil habitantes e recebe quase um milhão de visitantes durante a Festa, que este ano acontece de 15 a 25 de agosto. O resultado é uma intensa fomentação na economia que alcança também municípios da região. São mais de R$ 200 milhões de movimentação que atingem, principalmente, rede hoteleira, postos de combustíveis e estabelecimentos de alimentação, entre outros setores.

E as consequências não são somente durante a Festa. “Os barretenses que se dedicam a trabalhar neste período ou que têm comércio e serviços que se beneficiam com a Festa, começam o mês de setembro com mais dinheiro no bolso e com possibilidade de investir e quitar dívidas, por exemplo.”, afirma o presidente do evento Ricardo Rocha.

Somente no Parque do Peão, mais de 2500 trabalhadores, entre contratados pela organização e terceirizados, atuam nas obras, montagem e período pré-evento.

Mais de 20 mil pães por dia

Esta é a média da produção da panificadora do empresário Dilson Salomão, o “Xuxa”, que sai de Londrina, no Paraná, há 40 anos, para produzir pão quentinho todo dia na Festa de Barretos. Sua equipe conta com 10 pessoas e ele monta toda estrutura com 10 dias de antecedência para já atender os responsáveis pela montagem do evento.

Segundo o empresário, que viaja todo o Brasil, Barretos é o evento mais lucrativo do país, com 20% a mais de vendas do que o segundo colocado. “Produzimos pães para os estandes, lanchonetes, restaurantes e também para o público. Chegamos a vender 25 mil pães no mesmo dia”, afirmou Xuxa.

Música em alta

A Festa do Peão de Barretos reúne mais de 100 atrações musicais, um grande festival que tem o sertanejo como protagonista, mas que recebe também o axé, o samba e a música eletrônica.

Enquanto alguns setores da economia andam em baixa, o mercado da música comemora seus resultados. Dados dos Produtores Fonográficos Associados (Pro-Música Brasil) mostraram um crescimento de 15,4% das receitas do setor de música gravada no Brasil entre 2017 e 2018.

O número é superior à alta do mercado global, que, segundo dados da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI), ficou em 9,7%. “Vivemos um momento incrível da música brasileira, com vários nomes de sucesso por todo país, e os fãs fazem questão de acompanhar seus artistas preferidos e investem em ingressos para setores diferenciados, para viver uma experiência e não somente assistir a um show”, disse o presidente. Ele destaca ainda que a maioria dos artistas prepara apresentações exclusivas para Barretos.