Como os professores podem garantir a atenção de jovens na sala de aula – e seus diversos fatores de distração – ao mesmo tempo que buscam melhorar os índices de qualidade de ensino? Uma formação para professores do ensino médio pretende dar essas respostas a partir de exercícios práticos na natureza.

Nos próximos dias 10 e 24 de agosto, o Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – HEINEKEN Brasil, em Itu, receberá a iniciativa promovida pelo projeto Aprendendo com a Mata Atlântica e facilitada por educadoras do Instituto Romã. A formação é gratuita e voltada para professores do ensino médio. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas até 1º de agosto neste link.

Ao lidar com a fase de transição de um adolescente para a vida adulta, os professores precisam levar em consideração uma série de transformações – biológicas, sociais e psicológicas – que impactam diretamente no desempenho escolar dos alunos.

Além disso, se veem em situações estressantes, em que precisam buscar melhores índices de qualidade, mas com o desafio de atender as expectativas de jovens com acesso cada vez maior a informações – o que os deixa mais ansiosos e com baixa capacidade de focar a atenção –. Com isso, a concentração em sala de aula nem sempre é algo tão simples de alcançar.

As práticas de atenção na natureza podem auxiliar na melhora das condições dos professores em se expressar e compreender sentimentos e para a valorização da convivência em grupo. Com isso, é possível a construção de novas relações com base no respeito à diversidade e a solidariedade e a maior capacidade de desenvolver a empatia e compaixão.

Todas essas competências socio-emocionais são expressas nas Base Nacional Comum Curricular e almejadas para a Educação do Século XXI.

“Vários estudos trazem os benefícios que o contato com a natureza trazem como o aumento da criatividade, bem-estar, concentração, entre outros. Além disso, podemos aprender muito com ela como exemplo de harmonia e diverssidade entre seus indivíduos.

Trazer os educadores para nosso Centro de Experimentos é uma forma que encontramos para desacelera-los e fazer com que olhem para dentro de si e encontrem a solução para o resgate de sua atenção”, afirma Kelly De Marchi, educadora ambiental da Fundação SOS Mata Atlântica.

Composta por diferentes sessões de aprendizagem, a formação também inclui oficinas em que os conteúdos particulares de cada professor serão expostos para serem trabalhados com o foco da atenção. A ideia é fazer com que cada educador se aproprie das técnicas apresentadas.

O local escolhido para a formação é a base de restauração florestal da SOS Mata Atlântica, com um viveiro com capacidade de produção de 750 mil mudas por ano – com cerca de 100 espécies nativas. A fazenda, de propriedade do Grupo HEINEKEN no Brasil – também patrocinador da formação – e que desde 2007 é cedida em comodato para a SOS Mata Atlântica, tem mais de 500 hectares e teve mais da metade de sua área recuperada com o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica.

Hoje, 12 anos depois, já é possível ver um cenário bem diferente, com árvores que já alcançam 10 metros de altura e a partir dos projetos de pesquisas realizados em parcerias com universidades, já se pode considerar o espaço como refúgio para a biodiversidade, incluindo mais de 200 espécies de aves já identificadas.

Formação para aprendizagem com foco
Quando: 10 e 24 de agosto de 2019 (dois encontros), das 9h às 17h
Onde: Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – HEINEKEN Brasil
Endereço: Rodovia Marechal Rondon, km 118,3 – Bairro Porunduva – Itu/SP.
Carga horária: 16 horas
Público-alvo: professores do ensino médio
Mais informações: (11) 4013-2551 ou kelly@sosma.org.br
Inscrição gratuita neste link

Sobre a Fundação SOS Mata Atlântica
A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG ambiental brasileira. Atua na promoção de políticas públicas para a conservação da Mata Atlântica por meio do monitoramento do bioma, produção de estudos, projetos demonstrativos, diálogo com setores públicos e privados, aprimoramento da legislação ambiental, comunicação e engajamento da sociedade em prol da recuperação da floresta, da valorização dos parques e reservas, de água limpa e da proteção do mar. Os projetos e campanhas da ONG dependem da ajuda de pessoas e empresas para continuar a existir. Saiba como você pode ajudar em www.sosma.org.br.

Sobre o Grupo HEINEKEN no Brasil
O Grupo HEINEKEN chegou ao Brasil em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo FEMSA e, em 2017, adquiriu a Brasil Kirin Holding S.A (“Brasil Kirin”), tornando-se o segundo player no mercado brasileiro de cervejas. O Grupo gera mais de 13 mil empregos e tem 15 unidades produtivas no país, sendo 12 cervejarias, localizadas em Alagoinhas (BA), Alexânia (GO), Araraquara (SP), Benevides (PA), Caxias (MA), Igarassu (PE), Igrejinha (RS), Itu (SP), Jacareí (SP), Pacatuba (CE), Ponta Grossa (PR) e Recife (PE), duas micro cervejarias em Campos do Jordão (SP) e Blumenau (SC) e uma unidade de concentrados para refrigerantes em Manaus (AM). No Brasil, o portfólio de cervejas do Grupo HEINEKEN é composto por Heineken, Sol, Amstel, Kaiser, Bavaria, Eisenbahn, Baden Baden, Devassa, Schin, Glacial, No Grau e Kirin Ichiban. O portfólio de não alcoólicos inclui Água Schin, Schin Tônica, Skinka e os refrigerantes Itubaína, Viva Schin e FYs. Com sede em São Paulo, a companhia é uma subsidiária da HEINEKEN NV, a maior cervejaria da Europa.