Não é segredo para ninguém que a tecnologia vem rompendo barreiras e melhorando a forma como as pessoas vivem o seu dia a dia. Se conseguimos nos comunicar, estudar e até buscar um médico à distância, por que não adotar um serviço de portaria para o seu condomínio que funcione da mesma forma?

Tendência atual no mercado de condomínios, a portaria eletrônica reúne uma equipe de profissionais que monitoram um edifício remotamente 24 horas por dia, por meio de tecnologias como câmeras, alarmes e outros sistemas que garantem segurança completa aos moradores e maior economia aos cofres do prédio.

Por ser um conceito que ainda dá seus primeiros passos, surgem dúvidas sobre sua operação, já que a presença da portaria convencional é muito presente na rotina das pessoas. Porém, vale a pena ressaltar que a maioria das invasões a condomínios decorram por falhas do porteiro, que acaba por exceder a pressões liberando o acesso de desconhecidos.

Reunimos os mitos e verdades sobre a portaria virtual e como ela pode ser uma grande aliada do seu condomínio em qualquer situação. Vamos lá?

Fiquei preso no elevador. E agora?

Pode ficar tranquilo. A empresa de portaria eletrônica possui um aparato de câmeras e interfones que permite comunicação direta com a central e aciona imediatamente o zelador e a empresa responsável pela manutenção do elevador.

O portão da garagem quebrou. Como vou entrar no prédio?
A central entra em contato com o zelador e solicita que o portão seja colocado em modo manual. Caso o profissional não esteja no condomínio, existe uma equipe de prontidão que vai até lá e realiza as funções de portaria enquanto a empresa de manutenção não chega.

Acabou a energia, então perdi o acesso ao prédio?
De forma alguma. Os projetos de portaria virtual contemplam nobreaks, banco de baterias e geradores com autonomia de pelo menos 8 horas… Contudo, caso o período sem eletricidade se prolongue, um funcionário de plantão é encaminhado para assumir a portaria do prédio até a normalização total da rede elétrica.

Toda a comunicação com a portaria é feita por internet, e se cair a conexão?
Pensando nisso, a portaria virtual sempre conta com dois links de internet de empresas diferentes, o que gera uma redundância de conexão. Embora dificilmente os dois serviços caiam ao mesmo tempo, há sempre um colaborador à disposição do condomínio que assume o comando da portaria enquanto a conexão não se restabeleça.

E se um bandido me render na hora de entrar no prédio? Como faço?

Os dispositivos entregues aos moradores contam com botões de pânico que podem ser acionados discretamente. No caso da biometria, é cadastrado um “dedo do pânico”. Ambos métodos permitem que a central receba um sinal, monitore a situação pelos alarmes e câmeras e entre em contato imediato com as autoridades responsáveis.

Adoro comprar coisas pela internet, como faço com minhas encomendas?

As encomendas exigem a presença de uma pessoa física no condomínio para recebê-las. Desse modo, a empresa disponibiliza um celular para o colaborador que atua no prédio, que pode ser um zelador, um faxineiro ou um auxiliar de serviços gerais, para que essa pessoa vá até a portaria e receba o pacote.

*Bruno Neves é diretor de operações da FortTech, empresa especializada em portaria virtual

FORTTECH

Sobre a FortTech: A FortTech é uma empresa moderna que, por meio de soluções inovadoras, garante mais segurança e economia de recursos aos condomínios por meio do conceito de portaria virtual. Com um sistema de segurança integrado, a companhia controla remotamente todo o acesso e vigilância de um edifício.

Veja mais em: www.grupoforttech.com.br/