QUAIS AS MELHORES RAÇAS DE CACHORRO PARA FAZER COMPANHIA PARA OS IDOSOS?

Envelhecer não é fácil, para combater alguns sinais de depressão na terceira idade, muitos geriatras têm recomendado a adoção de cães

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Brasil possuía 30 milhões de idosos (pessoas com 60 anos ou mais). E a tendência é que o número de pessoas na terceira idade cresça de forma mais acelerada e gradual do que o número de crianças. Ou seja, a nossa população está envelhecendo.

E, sabemos, envelhecer não é uma coisa tão simples assim. O fim da carreira, marcado pela aposentadoria, os problemas de saúde, como a redução da mobilidade, e a saída dos filhos de casa podem gerar quadros de depressão e tristeza profunda nos idosos. 

Para atenuar estes sentimentos, muitos geriatras recomendam que os idosos sejam tutores de cães de tamanho médio, já que as raças de pequeno porte podem não ser vistas pelos idosos (eles podem acabar tropeçando nos cães e cair) e as de grande porte, por serem mais fortes, podem acabar os derrubando nos passeios.

Mas, então, quais as melhores raças para fazer companhia para os idosos?   

Raças de médio porte adequadas para os idosos

Como dissemos, as raças de médio porte são mais adequadas para fazerem companhia para os idosos. E, embora cada cãozinho tenha a sua personalidade própria, que independe da sua genética, é preferível escolher os pets que são mais dóceis. 

Algumas raças são muito conhecidas por aliar essa docilidade com outras características importantes para os idosos, como a obediência e a lealdade.

Schnauzer

Originário da Alemanha, esse cãozinho é extremamente dócil e muito inteligente, inclusive podendo ser treinado para conviver com pessoas com limitações, como os idosos. 

Esta é uma raça que não é tão agitada e também não é destruidora, características muito importantes para os idosos que não podem fazer muitas atividades com o pet e que também não têm mais a mesma mobilidade para ficar consertando tudo o que os cães destroem. 

Cocker Spaniel Inglês

A origem do cocker spaniel inglês não é tão certa assim, isso porque, enquanto alguns afirmam que ele surgiu na Espanha, outros entendem que o local de origem, na verdade, é a Grã-Bretanha. 

Apesar da origem incerta, esse cãozinho, com certeza, é uma boa companhia para os idosos, principalmente por ser um protetor da casa. Ele late bastante, geralmente para proteger a sua família e pode ser um pouco destruidor, principalmente se ficar muito tempo longe dos tutores. 

No entanto, como são muito inteligentes e dóceis podem aprender a se comportar melhor. Leais e muito carinhosos, os cães dessa raça também podem se tornar boas companhias para os idosos.

Vira-lata

Os cães Sem Raça Definida (SRD) são chamados popularmente de vira-latas. Eles não costumam ter características físicas e comportamentais tão características como os cães de raça. Mas eles são extremamente dóceis e bons companheiros. 

E se engana quem pensa que eles não podem ser ensinados. Pelo contrário, eles podem sim aprender truques, inclusive de comportamento que seja mais adequado ao seu tutor mais velho.

É válido lembrar também que os cães vira-lata são muito leais e gostam da convivência com outras pessoas, inclusive as crianças que podem fazer parte da vida dos idosos se eles tiverem netos.

Poodle

Se você conhece um tutor de poodle, com certeza já ouviu histórias da superproteção que esses cães oferecem, certo? E isso pode ser uma característica muito interessante para os idosos, sobretudo para que eles não sejam vítimas de pessoas mal-intencionadas. 

Companheiros e muito leais, essa raça exige um pouco mais de atividades físicas que podem ser brincadeiras como de “pegar a bolinha” ou mesmo caminhadas curtas ao longo do dia, coisas que os idosos podem fazer com certa tranquilidade. 

Por que ter um cãozinho na terceira idade

Segundo alguns geriatras, adotar um cãozinho na terceira idade pode ajudar a aliviar um pouco os sentimentos de tristeza e a depressão que podem acometê-los com a chegada da idade mais avançada. 

Muitos idosos começam a sentir a “menos valia”, isto é, passam a achar que não são mais úteis, porque os filhos já estão crescidos e moram fora de casa e o trabalho já não é mais uma opção. Diante desta situação, ficar responsável por um cãozinho faz os idosos se sentirem mais necessários e responsáveis, aumentando a autoestima. 

Publicidade:
Anterior CHÁ DE FRALDAS: SAIBA COMO SE ORGANIZAR COM DICAS FOFAS E ÚTEIS
Próxima BANCO DA MONTADORA OU TRADICIONAL: ONDE FAZER O FINANCIAMENTO AUTOMOTIVO?