De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) cerca de 30% da população brasileira terá mais de 60 anos até 2050. A alimentação adequada para o envelhecimento saudável da população é uma das principais discussões sobre o assunto, principalmente, quando se trata da prevenção de doenças comuns a partir desta faixa etária.

Com o envelhecimento uma das doenças que acometem os idosos é a sarcopenia, que consiste na perda de massa e força na musculatura esquelética (como bíceps, tríceps e quadríceps). Ela pode se manifestar a partir dos 35 anos, em média. Em estudo realizado pela Oxford Journals of Medicine & Health Age, mostra que a doença está presente em até 29% da população mundial, e quanto mais velha, maior esse índice.

A análise aponta ainda que a sarcopenia aparece entre 14% a 33% dos idosos que estão sob cuidados e em 10% naqueles que passaram por internação em hospitais.

“Proteínas e aminoácidos são fundamentais neste processo. A ingestão de todos os aminoácidos essenciais (principalmente a L-Leucina) está relacionada a manutenção de massa muscular e à promoção do seu bom funcionamento”, comenta Helena Tavares, Nutricionista e Coordenadora Técnica do Grupo de Trabalho de Aminoácidos da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD), representante do setor de suplementos alimentares para grupos populacionais específicos, tais como idosos.

A nutricionista ressalta que este é o principal contraponto à perda de massa muscular causada pela sarcopenia.

Soluções para um envelhecimento saudável

As primeiras associações entre a carência de massa magra e envelhecimento surgiram há cerca de 30 anos. Apenas em 2010 é que o Grupo Europeu de Trabalho sobre Sarcopenia em Idosos estabeleceu que o fenômeno engloba, além da redução muscular, a diminuição de força e a piora do desempenho físico. A partir disso, surgiram diversos estudos para prevenção desta doença.

Recomenda-se que seja feita a ingestão diária ideal de proteínas e aminoácidos junto a outros nutrientes, formando uma dieta balanceada e completa. A suplementação destes nutrientes se tornou uma solução àqueles que não conseguem ingerir a quantidade necessária no dia a dia, que pode ser indicada a partir dos 40 anos.

Segundo Kathia F.Schmider, Nutricionista, Especialista em Nutrição em Saúde Pública e Coordenadora Técnica da ABIAD, é essencial a avaliação pelo médico ou nutricionista sobre a necessidade da utilização de suplementos alimentares específicos para cada paciente. O objetivo é minimizar o risco de doenças e contribuir para um envelhecimento mais saudável, como, por exemplo, no combate à sarcopenia.

“Ter acesso e conhecimento às alternativas que agreguem saúde e que mantenham a qualidade de vida de idosos é de suma importância. A tendência mundial é que esses cuidados e atenção sejam efetivos na vida dessas pessoas”, reconhece Kathia.

Sobre a ABIAD

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD) foi fundada em 1986 com a missão de reunir empresas que se dediquem, direta ou indiretamente, à produção, industrialização, comercialização, distribuição e importação de matérias-primas e alimentos para fins especiais, incluindo nutrição infantil, nutrição enteral, diet e light, suplementos alimentares, nutrição esportiva, alimentos funcionais, dentre outras categorias. A ABIAD se dispõe a ser a principal interlocutora do setor no diálogo com o Poder Público e órgãos internacionais, podendo assumir o papel de liderança na defesa de políticas públicas baseadas em dados científicos sólidos e a capacidade para que os consumidores tenham acesso a uma grande variedade de produtos seguros, benéficos e de alta qualidade.