As famílias brasileiras devem estar atentas aos graves riscos que a obesidade infantil pode acarretar para o futuro dos seus filhos. O alerta é do médico José Francisco Kerr Saraiva, presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

“Sabemos que o sobrepeso é um dos principais fatores de risco para problemas cardiovasculares e doenças incapacitantes. Por isso, é crucial, desde os primeiros anos de vida, ensinar bons hábitos, cuidar muito bem da alimentação, sono e atividades físicas dos filhos, já que costumes desenvolvidos na infância tendem a permanecer durante toda a vida. Este é um verdadeiro gesto de amor e responsabilidade, a ser enfatizado no Dia das Crianças”.

O aparecimento de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, está entre as consequências da obesidade ou do sobrepeso na infância. De acordo com Dr. Saraiva, a grande oferta de produtos alimentícios ultraprocessados e fast foodse fácil acesso da população constituem um grande perigo. “Alimentação errada, que se encontra em cada esquina ou mercado, é uma grande ameaça”, alerta o cardiologista.

Segundo o Ministério da Saúde, crianças acima do peso têm 75% mais chances de serem adolescentes obesos. Este público, por sua vez, tem 89% de chances de ser adultos com sobrepeso. “É um ciclo difícil de ser quebrado, principalmente se observamos que uma a cada dez crianças é obesa no Brasil”.

Estudo realizado pela Socesp com crianças e adolescentes na cidade de Campinas apontou dados alarmantes: 32% deles tinham sobrepeso a partir dos sete anos. “O mais grave, segundo as projeções, é que, sem mudanças de hábitos, em menos de uma década a obesidade poderá atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil”.

Por todos estes fatos, é preciso afastar da infância o excesso de gorduras, sal, biscoitos e guloseimas, gula e consumo de refrigerantes e doces industrializados.

“Alimentação diária equilibrada, com a presença de todos os nutrientes necessários e sem exageros, contribuirá muito para uma vida saudável”. Outros detalhes que podem reduzir as taxas de morte cardiovascular no País são não fumar perto de crianças e nem lhes despertar o interesse por bebidas alcoólicas.

“Neste 12 de outubro, convido a todos para darem um duplo presente às crianças brasileiras: a mudança de hábito dos próprios pais, para que convivam com elas mais tempo e em boas condições; e um futuro melhor e mais feliz para nossas meninas e meninos, contribuindo para que tenham muita saúde quando forem adultos”, finaliza.

Sobre a SOCESP
A Socesp – Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1976. Regional da Sociedade Brasileira de Cardiologia e Departamento de Cardiologia da Associação Paulista de Medicina, conta com cerca de 8 mil sócios. Os principais objetivos da Socesp são contribuir para a atualização dos cardiologistas do estado e difundir o conhecimento científico gerado pela própria Socesp aos profissionais da saúde que atuam na Cardiologia e para a população.