Um dos distúrbios do sono mais comuns é a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), uma doença crônica, evolutiva caracterizada pela obstrução parcial ou total das vias respiratórias.

“Ela pode causar paradas repetidas e temporárias da respiração enquanto a pessoa dorme. Em indivíduos adultos, é considerada apneia a suspensão da respiração por 10 segundos em cinco ou mais episódios por hora de sono, o que resulta na redução dos níveis de oxigênio no sangue e pode acarretar em problemas sérios à saúde principalmente quando é considerada grave e não é tratada.”, explica a fisioterapeuta responsável pelo setor de Apneia do Sono do Grupo Microsom, Milena Faria.

Segundo pesquisa realizada com 22.518 pessoas pela Sociedade Brasileira de Neurofisiologia (SBNC), 45% da população brasileira dorme mal e 52% acordam cansados. Atualmente a apneia do sono é associada a diversos problemas de saúde, principalmente do coração, órgão que sofre maior sobrecarga por conta da síndrome.

Sintomas

Um dos principais sintomas da Apneia Obstrutiva do Sono, e mais comum, é o ronco, normalmente seguido por engasgos quando a pessoa fica sem ar e a sonolência diurna excessiva. Essas interrupções na respiração levam à diminuição da oxigenação sanguínea e pode acarretar outros problemas de saúde como hipertensão, doenças cardíacas como o infarto, diabetes tipo 2 e até um derrame. Além disso, a pessoa costuma ter um sono agitado e acordar cansada e fadigada.

Dentre os fatores de risco para o surgimento da apneia estão a obesidade, o tabagismo, o alcoolismo, problemas no nariz como desvio de septo, amígdalas e adenoides grandes, deformidades crânio faciais, língua grande, dormir de barriga para cima ou em alguma posição que o queixo fique projetado para trás.

Tratamento

Algumas medidas podem ajudar a amenizar a apneia como procurar manter um estilo de vida saudável, dormir bem, praticar exercícios físicos, não fumar e ingerir bebidas alcoólicas antes de dormir, evitar ingerir alimentos pesados antes de se deitar, dormir de lado e perder peso.

Existem ainda alguns dispositivos que podem auxiliar na melhora do fluxo respiratório durante o sono como próteses orais e CPAPs.

CPAP é a sigla em inglês para Continuous Positivo Airway Pressure, que significa Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas. “Trata-se de um aparelho que envia um fluxo contínuo de ar para as vias aéreas através de uma máscara, impedindo assim que o indivíduo tenha as Apneias, possibilitando que o mesmo tenha  uma noite de sono contínua e consiga passar por todos os estágios do sono, revigorando as partes vitais para restabelecer as energias para o próximo dia”, explica Milena Faria, responsável pela parte de apneia do Grupo Microsom.

O Grupo Microsom comercializa o CPAP SleepStyle, um equipamento automático e completo para tratar a apneia do sono. Ele alia todas as tecnologias existentes para facilitar o tratamento. Possui câmara de água integrada ao equipamento e de fácil manuseio, níveis de conforto para umidificação e é um dos menores aparelhos do mercado, com design arrojado e totalmente silencioso.

Além disso, o usuário pode baixar o aplicativo SleepStyle™ no seu smartphone para monitorar os resultados de sua terapia de CPAP, permitindo acompanhar seu progresso diário. Ele ainda envia alertas para problemas comuns da terapia e permite que obtenha orientações sobre como resolvê-los.

Sobre o Grupo Microsom

O Grupo Microsom nasceu com o objetivo de tratar de forma mais humana as pessoas com qualquer tipo de deficiência. Ao longo do tempo agregou diversas soluções em seu portifólio, tais como aparelhos auditivos, aparelhos para zumbido, gagueira e apneia do sono. Sua missão é promover qualidade de vida para as pessoas que sofrem de alguma deficiência e precisam de soluções personalizadas e um atendimento humanizado. Ao todo, já conta com quase 30 anos de expertise e mais de 60 pontos de atendimento distribuídos por diversos Estados brasileiros.