ATIVIDADES FÍSICAS NA GRAVIDEZ: COMO SE EXERCITAR COM SEGURANÇA


Assim como em outras etapas da vida, as atividades físicas são recomendadas durante a gravidez. Além de trazer inúmeros benefícios para a saúde, a prática também reduz o risco de ter parto prematuro. De acordo com estudo da Universidade Federal de Pelotas, as mulheres que se movimentam na gestação, principalmente durante o terceiro trimestre, são as que menos dão à luz antes do programado.

Há ainda outros benefícios ainda mais visíveis como controlar melhor o peso, fortalecer a musculatura e reduzir os riscos de diabetes gestacional. É válido ressaltar que a atividade física melhora o condicionamento do corpo para o parto.

Porém, por se tratar de um momento bastante específico da vida de toda mulher, a prática exige cuidados. Entenda melhor o que esse período exige para que as mães tenham uma gravidez saudável e segura!

Orientação de um profissional

Independentemente se a mulher tinha ou não uma vida ativa antes da gravidez, é necessário realizar transformações para uma rotina própria de exercícios para gestantes. Quem fazia musculação, por exemplo, precisará ajustar as cargas do treino para evitar qualquer prejuízo à própria saúde e à saúde do bebê.

Por conta disso, é fundamental informar sobre a gravidez ao profissional de educação física. Ainda assim, a mulher deve respeitar os limites dados pelos médicos. Para quem tem desconfortos, como enjoos ou alguma restrição decorrente da gestão, é preferível optar por atividades mais simples e de menor impacto. A caminhada costuma ser uma ótima alternativa para esses casos.

Atividades ideais

Para as mulheres que já praticam atividade física regularmente, é perfeitamente possível prosseguir com a rotina de exercícios, desde que adaptem o treino de acordo com as recomendações médicas obtidas durante o pré-natal.

No caso das mulheres sedentárias, o ideal é começar com exercícios leves e que possam evoluir durante a gravidez juntamente com o condicionamento físico.

Entre as atividades que trazem benefícios para as gestantes estão a caminhada, a dança, o ciclismo, a natação, a yoga, o pilates e a musculação. Por sua vez, atividades que envolvam altitude e mergulho não são recomendadas e podem ser substituídas temporariamente até o parto e sua recuperação.

Roupa e calçado adequados

Usar roupas confortáveis e, principalmente, calçados que absorvam o impacto são medidas fundamentais para aproveitar a atividade. Caso contrário, a grávida poderá sentir mais incômodo, prejudicando seu desempenho durante os exercícios.

Há inclusive alguns acessórios que podem facilitar os movimentos e evitar lesões. Um exemplo é a palmilha para pisada pronada. Mesmo que pareça inofensivo, esse costume — que consiste em pisar primeiro com a parte de fora do pé — faz com que a aterrissagem no solo sofra mais atrito.

Por conta dos quilos a mais da gravidez, a mulher precisa também se preocupar com o bem-estar dos pés, já que são eles que garantem a sustentação para todo o corpo.

Ajuda imediata

Sobretudo nos primeiros três meses, que são os mais críticos nos casos de abortos espontâneos, a atenção deve ser redobrada. Caso a mulher tenha sangramento, tontura, dor de cabeça, dor no peito, fraqueza muscular ou qualquer outro sintoma estranho, é necessário interromper a atividade e ir imediatamente a um hospital.

Publicidade:
Anterior TIM PROTEGE SEU CELULAR ENQUANTO VOCÊ PULA O CARNAVAL
Próxima FESTIVAL DE LIVROS TEM TÍTULOS A PARTIR DE R$ 5