As dores e demais alterações na saúde dos pés, tão comuns durante toda a vida, podem se tornar ainda mais intensas e constantes na terceira idade. Conforme o corpo vai envelhecendo e passando por transformações comuns a esse processo, os pés também acompanham essas modificações, sendo constantemente impactados e podendo comprometer a qualidade de vida do idoso.

Idosos que são ativos e caminham diariamente podem sentir benefícios, como a melhora da circulação sanguínea e o fortalecimento muscular. No entanto, com o rápido avanço da pandemia mundial causada pelo coronavírus, as pessoas com mais de 60 anos são consideradas grupos de risco para a doença e a recomendação é para que adotem o isolamento domiciliar. É preciso então readaptar a rotina para cuidar da saúde dos pés, do organismo e, também, da mente.

Com os cuidados adequados, a saúde dos pés idosos pode ser mantida ou recuperada mesmo no período de quarentena, tão importante nesse momento, sendo possível prevenir o surgimento de diversas alterações e problemas. Veja as dicas!

Como cuidar do jeito certo?
Os pés também envelhecem. Com o avanço da idade, a pele, a musculatura, os nervos, os tendões e a circulação sanguínea sofrem alterações significativas. É também com a idade que alguns problemas comuns, como as tendinopatias, tendem a ocorrer mais ou mesmo se agravarem. Além disso, a artrose, o surgimento de joanetes, e até mesmo outros quadros como diabetes, podem causar transtornos, interferindo no dia a dia do idoso.

Artrose
Cada vez mais tratamentos estão disponíveis para combater os sintomas decorrentes da artrose, doença que afeta milhões de brasileiros. A indicação do tratamento ideal deve ser feita pelo médico após o correto diagnóstico. Entre os meios mais indicados estão o uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides e calçados especiais. Os exercícios em casa devem ser realizados sob orientação médica com a indicação da atividade ideal para cada paciente, mas os alongamentos feitos diariamente contribuem muito para aliviar as dores e a sensação de rigidez.

Fascite plantar
Quadro que causa a inflamação da fáscia, membrana que recobre a musculatura da sola do pé, e que causa fortes dores, sobretudo nas primeiras pisadas do dia, após acordar. O uso de calçados especiais (que devem ser adequadamente higienizados antes de serem utilizados) e da palmilha para fascite plantar deve ser mantido mesmo em casa, reduzindo o impacto durante a movimentação diária. Repouso e aplicação de gelo tendem a controlar o quadro quando há desconforto.

Joanetes
A deformidade causada pelos joanetes desencadeia dor, e é comum em adultos e idosos. Para tratar em casa da dor e do desconforto causados pelas joanetes existem várias alternativas, como a aplicação de gelo local, a atenção aos alimentos ingeridos nas refeições – comidas gordurosas tendem a agravar a inflamação e, consequentemente, causar mais dor, massagens e exercícios de alongamento dos pés auxiliam na redução do incômodo.

Problemas circulatórios
Diversas disfunções circulatórias podem acometer os pés idosos, causando dores e inchaço. De modo geral, manter-se ativo mesmo em casa, caminhando pela sala, quarto e varanda e praticando exercícios como alongamento são algumas das melhores formas de prevenir o aparecimento de problemas circulatórios. Caso o quadro já esteja estabelecido, o uso de meias compressivas e de medicamentos específicos indicados pelo médico devem ser mantidos.

Diabetes
Os pés diabéticos de idosos precisam de atenção redobrada. Não é incomum que surjam úlceras, que podem causar complicações seríssimas e até mesmo risco de amputação do pé afetado se não forem tratadas. Qualquer ferimento no pé do idoso diabético, mesmo que seja um pequeno machucado, deve ser muito bem higienizado e observado, evitando assim o agravamento da lesão. Importante: evite a automedicação. Alguns sintomas que se manifestam nos pés podem indicar o aparecimento de doenças mais sérias, portanto, se notar alguma diferença, contate o médico pelo telefone ou por mensagem.