Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo divulga boas práticas aos produtores para evitarem contaminação pela Covid-19


 

Desde o inicio da Pandemia do Novo Coronavirus no Brasil, muito se falou sobre boas práticas de higiene e de distanciamento a serem adotadas pela população. Vários profissionais foram colocados em teletrabalho, mas muitos funcionários, que trabalham em serviços tidos como essenciais pelo Governo, não podem parar. É o caso do agronegócio paulista, responsável não só pelo abastecimento do próprio Estado como de outras importantes regiões.

Pensando nisso, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo separou alguns tópicos importantes a serem seguidos pelos produtores para que eles se mantenham saudáveis e evitem a contaminação pela Covid-19.

O primeiro é afastar imediatamente os funcionários que apresentem sintomas do vírus ou que tiveram contato com alguém infectado. Também é extremamente necessária a disponibilização de álcool em gel 70% nas áreas de comum acesso, sendo que as superfícies e objetos presentes nos locais devem ser higienizados regularmente com desinfetante.
Os produtores precisam se manter atentos quanto à limpeza das mãos, podendo ser realizada com água e sabão ou álcool, mantendo as unhas cortadas durante a colheita. Eles também devem manter distância de, no mínimo, um metro do colega.

Durante a colheita, usar caixas e equipamentos limpos e desinfetados. Empilhar bem as caixas, evitando contato com o solo, e transportá-las o mais rápido possível para o processamento. Não compartilhar ferramentas de trabalho, como pás, enxadas e rastelos. Se isso acontecer, é importante higienizar a ferramenta sempre que ela for utilizada por alguém e o produtor também deve lavar as mãos com água e sabão após o uso dos equipamentos de trabalho e evitar tocar o rosto.
Caminhoneiros e outros prestadores de serviços devem permanecer no interior dos veículos durante entrega ou carregamento de mercadorias, para evitar contato com outros trabalhadores. Os veículos também podem ser focos de transmissão. O ideal é que eles sejam utilizados sempre pela mesma pessoa, evitando caronas, e que maçanetas, volantes, câmbios e painéis estejam sempre limpos.

Como os cuidados começam dentro da propriedade, a presença de pessoas que não moram ou trabalham no local deve ser restrita e pessoas acima de 60 anos devem ficar em casa. Por isso, para manter contato com outras pessoas, utilize aparelhos de comunicação. Mantenha apenas atividades essenciais na propriedade, suspendendo embarques de produtos que não sejam necessários no momento. Por fim, cuide para garantir que a fazenda tenha os suprimentos necessários de matéria-prima para suportar uma pequena interrupção.

Comercialização
Muitos agricultores saem de suas propriedades para vender a produção ou para fazer a entrega em pontos de comercialização. Nestes casos, é preciso evitar aglomerações e manter uma distância de mais de um metro das pessoas e evitar o cumprimento com apertos de mão, abraço e beijo. Em meios de transporte abertos, deve-se utilizar algum tipo de cobertura sobre os produtos.

Após o contato com dinheiro, cartões de pagamento e embalagens, as mãos devem ser higienizadas com água e sabão ou álcool 70%. A higienização das mãos também deve ser feita após o contato com frutas, legumes e verduras, pois esses produtos podem ser contaminados após o manuseio ou presença de gotículas de saliva de alguém infectado pelo Covid-19. Ao retornar para casa, o produtor deve limpar o veículo, os sapatos e lavar a roupa que utilizou.

Fiquem atentos à possibilidade de fechamento de estabelecimentos comerciais que fornecem itens essenciais para a propriedade, como ração, medicamentos, equipamentos e vacinas e tentem evitar a escassez desses itens.

Publicidade:
Anterior Tastemade Brasil lança #meudeliverynatastemade para conectar vendedores a novos consumidores neste período de isolamento social
Próxima Oito dicas para ensinar resiliência às crianças