NO DIA MUNDIAL DA BICICLETA, CONFIRA 5 FATOS QUE A TORNAM TENDÊNCIA PÓS-PANDEMIA

Meio de transporte secular, a bike ascende seu status com números que comprovam o crescimento
Optar pela bicicleta em detrimento do carro ou transporte público tem sido uma das tendências globais (Crédito: Guanaco Produções/semexe)
Optar pela bicicleta em detrimento do carro ou transporte público tem sido uma das tendências globais (Crédito: Guanaco Produções/semexe)
Simples, prática e eficiente, a bicicleta é um meio de transporte secular utilizado por milhões de pessoas a cada dia, seja por lazer, trabalho ou atividade física. Nessa semana, por exemplo, o atacante Fred saiu de Minas Gerais rumo ao Rio de Janeiro com uma bike para se apresentar no Fluminense. E, Neymar Jr, por meio de seu Instagram, postou imagens pedalando também.
Por conta da crise sanitária internacional, a bike tem um papel ainda mais inspirador no cenário pós-pandemia. E, no Dia Mundial da Bicicleta, elencamos alguns fatores que a tornam tendência no Brasil e no mundo:
1- Políticas públicas
Como medida de prevenção ao Covid-19, alguns países têm incentivado a população a fazer os deslocamentos diários por meio da bicicleta. Na França, por exemplo, as autoridades locais criaram um fundo de 20 milhões de euros. Este montante inclui um incentivo para que haja manutenção de bicicletas usadas.
2-Conteúdos especializados
Por ser um segmento bastante técnico, iniciativas que consigam entender e atender as necessidades de ciclistas, desde iniciantes até os profissionais, têm ganhado espaço no Brasil. Por exemplo, a startup ‘semexe’, especializada na venda de bikes usadas e novas pela internet, além de acessórios, teve o melhor desempenho da sua história nos últimos três meses. O fato de ter um grupo de experts no atendimento e ser focada no esporte ajudou a alavancar as ações.
3-Atividade física
Devido ao isolamento social, muitas pessoas adaptaram a prática esportiva para dentro de casa. Por meio de acessórios, como rolos, os amantes da bicicleta puderam pedalar, mesmo sem sair do lugar. O aplicativo Zwift, que simula ambientes ao ar livre e competições de modo virtual, também ascendeu em número de downloads. O triatleta Igor Amorelli, por exemplo, utiliza no dia a dia.
4-Aumento da procura
Na segunda quinzena de maio, o jornal The New York Times publicou uma matéria sobre o crescimento exponencial de compradores de bicicleta em determinadas regiões dos Estados Unidos. As vendas de bikes de lazer, por exemplo, cresceram 121%. No Brasil, a tendência se repete. De acordo com dados da ‘semexe’, há ascensão na busca pelos produtos, principalmente de mountain bikes e elétricas. Ao todo, a plataforma teve 223% de crescimento no período.
5-Interesse pelo esporte
Segundo colocado no ranking internacional da UCI (União Ciclística Internacional), Henrique Avancini é o grande nome da história do ciclismo no Brasil. Campeão mundial de maratona XCO e detentor dos principais recordes do esporte no País, o ciclista fluminense aumentou a exposição da modalidade por conta dos bons resultados e das ações sociais promovidas. Prova disso é que a Copa do Mundo de MTB conta com transmissões ao vivo, de graça, pela internet, em português, por meio da Red Bull TV.
Publicidade:
Anterior DOR DE CRESCIMENTO: PEDIATRA EXPLICA O QUE FAZER COM O DESCONFORTO DAS PERNAS
Próxima SAIBA COMO DESCARTAR CORRETAMENTE MÁSCARAS E LUVAS DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL