Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza iniciada no dia 23 de março de 2020 foi prorrogada até o dia 24 de julho de 2020. A partir do dia 15 de junho as doses contra a H1N1 passaram a ser aplicadas também nos: funcionários dos Correios, servidores da limpeza pública e moradores em situação de rua.

A campanha está sendo prorrogada em todo país porque de acordo com a Secretaria de Vigilância em Saúde, órgão federal ligado ao Ministério da Saúde, a meta de vacinar 90% das pessoas pertencentes aos grupos prioritários não foi atingida.

No Brasil, até o momento, apenas 69,03% desse público está

imunizado e o Ministério se esforça para conseguir imunizar mais 24 milhões de pessoas, para atingir os 90%.

O grupo prioritário com maior adesão a campanha foi o dos idosos 117,47%,  enquanto que para o grupo das pessoas com deficiência é que teve a menor imunização, 2,34%. O percentual pode superar os 100% porque a meta é calculada com base em estimativa de população, e também, no comparecimento em campanhas anteriores, como em anos passados a procura pelas doses pelos idosos foi menor o Ministério estimou uma população inferior a real, dados devem ser revisados para o próximo ano.

GUAÍRA

A Secretaria Municipal de Saúde conclama todos pertencentes aos grupos contemplados que compareçam em uma USF – Unidade de Saúde da Família – próxima a sua casa para se imunizado contra a H1N1.

Esta vacina é importante, principalmente, durante a pandemia, não protege contra o Coronavírus, porém evita que os pacientes contraiam a conhecida gripe suína, que também é uma doença grave, e por outro lado facilita diagnóstico nos casos suspeitos da Covid, ou seja, o médico, se sabe que o paciente foi imunizado para H1N1 tem mais subsídios para fechar um diagnóstico no caso de suspeita de infecção pelo novo Coronavírus.

Obs: As salas de vacina que estavam paralisadas devido a contaminação de servidores pela Covid, já voltaram a funcionar em horário usual

Os grupos contemplados com a vacina gratuita são:

– Idosos (60 anos e mais);

– Trabalhadores da saúde;

– Professores de escolas públicas e privadas;

– Profissionais das forças de segurança e salvamento;

– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

– Gestantes;

– Puérperas;

– Povos indígenas;

– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas;

– População privada de liberdade;

– Funcionários do sistema prisional;

– Adultos de 55 a 59 anos de idade.

– Funcionários dos Correios

– Servidores do Setor de Limpeza Pública

– Pessoas em Situação de Rua