Rotina de Primavera: o poder das plantas, chás e flores para a pele e cabelo

Dermatologista Dra. Luiza Archer dá dicas de como utilizar apenas agentes naturais para manter a rotina de skin care e cabelo em dia, além de compartilhar uma receita de esfoliante de rosas para o corpo

O poder das flores vai muito além de uma boa decoração. Com a estação mais alegre do ano se aproximando, a disposição e entusiasmo de encarar o dia a dia florescem e novos hábitos de cuidados diários surgem automaticamente.

Por que não aproveitar a primavera e buscar alternativas de produtos com ativos naturais? De acordo com a dermatologista, Dra. Luiza Archer, é possível usar e abusar da técnica e ainda fazer receitas caseiras para auxiliar a pele e o cabelo durante a rotina.

As flores carregam todos os princípios ativos de uma planta e possuem funções terapêuticas no organismo. Segundo a dermatologista, elas possuem princípios ativos e trazem benefícios como a tonificação, nutrição, regeneração celular e revitalização da pele.

Além disso, são ricas em polifenóides, substância esta que age contra os radicais livres, impedindo o envelhecimento precoce. A Dra. Luiza indicou as melhores opções de flores para adotar na rotina de skin care:

Rosas: podem ser utilizadas como tônico na forma de hidrolatos, para prevenir o envelhecimento precoce e aliviar a vermelhidão das peles sensíveis.

Camomila: ação calmante e anti-inflamatória para a pele, pode ser utilizada como compressas com chá de camomila gelado, como óleo essencial (diluído em algum veículo carreador), e está presente em produtos capilares para clareamento dos fios.

Girassol: pode ser utilizado como óleo vegetal (prensado a frio), com ótimo efeito hidratante, prevenindo estrias e o envelhecimento precoce da pele.

Calêndula: ação calmante, anti-inflamatória e cicatrizante, costuma ser incorporada em produtos faciais para acne, rosácea e prevenção do envelhecimento precoce da pele.

Cravo: potencial antifúngico e antisséptico, costuma ser utilizado como óleo essencial (diluído em algum veículo carreador), útil no tratamento de micoses e dermatite seborreica.

Gerânio: ação anti-aging e adstringente, indicado no tratamento da acne e na prevenção do envelhecimento precoce da pele, além de amenizar os sintomas da TPM. Costuma ser utilizado como tônico na forma de hidrolato e como óleo essencial (diluído em algum veículo carreador).

Lavanda: ação cicatrizante, antisséptica e calmante, costuma ser utilizada como tônico na forma de hidrolato, como óleo essencial (diluído em algum veículo carreador), e é frequentemente associada a outros ativos em produtos para rosto e corpo.

E no caso dos cabelos? É possível tingir utilizando agentes naturais?

Na visão da dermatologista Dra. Luiza Archer, o uso de tinturas convencionais, principalmente aquelas com água oxigenada e amônia, podem prejudicar a estrutura capilar e causar alergias cutâneas.

Além de evitar os produtos com conservantes, é importante evitar os com metais pesados como o chumbo, frequente nas tintas comuns, e que se acumula no organismo trazendo prejuízos a saúde a longo prazo.

A parte boa é que existem plantas que podem tingir os fios de forma permanente.

“Uma opção já bem conhecida é a henna. A planta usada em pó é capaz de cobrir o grisalho e deixar os fios com aspecto avermelhado. Caso a pessoa queira chegar no preto, a indicação é utilizar Índigo. Já para o castanho, a alternativa é mesclar a Henna com o Índigo.

Para os tons em loiro, temos a planta Cassia Obavata, muito conhecida como Henna Neutra. Todavia, esta planta apresenta resultados em fios bem claros, deixando com aspecto de louro dourado. Em todas as opções, o indicado é procurar por opções naturais, sem o uso de conservantes”, aponta a dermatologista.

Para preparar a coloração vegetal, basta diluir a quantidade de pó desejada na água morna até atingir a consistência cremosa e aplicar da mesma maneira da tintura convencional. É indicado usar touca de banho para manter a mistura úmida e aumentar a sua absorção. O tempo varia de 30 minutos a 1 hora.

“É possível utilizar outras fontes para manter um efeito temporário da coloração, como os chás. As apostas são no chá preto e café para tons escuros; chá de canela e alecrim par tons avermelhados e chá de camomila para tons loiros”, acrescenta Dra. Luiza.

Assim como qualquer outra tintura, o ideal é realizar um teste de mecha e de toque 24 horas antes do procedimento para observar possíveis reações e alergias. Além disso, é indispensável consultar seu médico de confiança para obter mais informações antes do uso.

Incrementando produtos caseiros para os cuidados diários: ESFOLIANTE PARA O CORPO DE AÇÚCAR DE PÉTALAS DE ROSAS – 3 INGREDIENTES

1 xícara de pétalas de rosa secas

Pulsar as pétalas em um processador de alimentos até que se tornem minúsculos flocos.

Misture as pétalas esmagadas com 2 xícaras de açúcar, 2/3 xícaras de óleo de coco e 6-8 gotas de seu óleo essencial favorito para perfumar (opcional) – lavanda, limão e baunilha combinam perfeitamente com o leve perfume de rosas.

Sobre a Dra Luiza Archer – @draluizaarcher

Dra LuizaArcheré dermatologista, com ênfase em cosmetologia natural, dermatologia clínica e estética. Acredita em métodos e tratamentos à base de ativos naturais, respeitando as necessidades e expectativas de cada paciente. Em seu Instagram (@draluizaarcher) é possível conhecer a sua ideologia profissional, além de diferentes tipos de tratamentos, curiosidades e dicas de cuidados com a pele. Ademais, a médica é conhecida por atender algumas celebridades vegetarianas e veganas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Publicidade:
Anterior NBA: Denver Nuggets com trio inspirado segura incrível reação do Los Angeles Lakers e vence jogo 3 da final do oeste
Próxima Sorvete ameniza efeitos do tratamento em pacientes com câncer