Bem-estar, alta imunidade e capacidade cognitiva: vantagens do consumo de alimentos integrais

Por conta do teor saudável e dos inúmeros benefícios para o organismo, produtos 100% integrais vêm ganhando força entre o público em geral e incentivando empresas a investirem nesta linha em seus cardápios

Ribeirão Preto (SP), 25 de setembro de 2020 – A escolha por uma alimentação saudável e bem equilibrada pode trazer mais qualidade de vida e melhorias visíveis em relação a saúde e a doenças sérias, entre elas as autoimunes, diabetes, Mal de Parkinson e várias outras.

Mudar o hábito alimentar e conhecer a ação dos ingredientes que são colocados no prato do dia a dia trazem uma condição de saúde que garanta mais imunidade e previna doenças e desconfortos que alguns produtos podem causar com o tempo. Surfando nessa onda, os alimentos integrais ganham protagonismo.

“Os alimentos integrais nada mais são, na verdade, do que aqueles que não passaram por nenhum tipo de refinamento industrial”, explica a nutricionista Ana Paula Tonissi. No refinamento, algumas partes essenciais do alimento são retiradas, como as películas protetoras que cobrem os grãos.

“No momento em que retiramos essa película, perdemos também uma boa parte das vitaminas, das fibras e dos minerais desse grão. No alimento integral, ele está ali, na íntegra”.

Consumir mais fibras é bom sinal no mundo inteiro, mas no Brasil, especificamente, os alimentos integrais ganham um papel ainda mais relevante.

“O brasileiro consome pouca fibra. A recomendação da Associação Dietética Americana e da OMS é de que a ingestão para adultos seja de 20 a 35 gramas por dia. É difícil o brasileiro chegar nessa quantidade”, alerta a nutricionista.

E as fibras são benéficas para o organismo como um todo e principalmente para o intestino. “Melhorando o funcionamento intestinal, ampliamos a qualidade de vida: o sistema imunológico, capacidade cognitiva, trânsito intestinal (com menor chance de constipação) e até mesmo o bem-estar e saúde mental”.

A nutricionista esclarece ainda que os alimentos integrais também favorecem a proliferação de bactérias benéficas no intestino.  Já os refinados, consumidos em larga escala, propiciam condições para que o corpo prolifere várias bactérias ruins, que causam inflamação nesse órgão.

“A maioria das doenças têm cunho inflamatório, inclusive a diabetes. Quando comemos o grão integral conseguimos melhorar o trânsito intestinal e a flora intestinal pela colonização de bactérias boas”.

Para quem já ouviu falar que alimentos integrais engordam, Ana Paula também tem uma boa notícia: o mais provável é que, comendo a mesma quantidade dos dois, o refinado tenha um resultado pior no aumento de peso.

“A verdade é que tudo o que você come em grandes quantidades pode aumentar peso, não é pelo fato de ser integral”, afirma. Ela diz que a quantidade de calorias que compõem os alimentos integrais é ligeiramente maior, mas isso acaba sendo insignificante na prática.

“A fibra gera uma sensação de saciedade, com maior preenchimento gástrico e isso faz com que o indivíduo tenha vontade de comer menos”.

Além da sensação de saciedade, os alimentos integrais têm um índice glicêmico menor, apesar da maior quantidade de calorias. O índice glicêmico representa o potencial de um alimento de elevar a glicemia e absorver glicose.

“Não digerimos a fibra nem a absorvemos, e ela acaba ajudando a eliminar mais esse açúcar do que o alimento refinado – o que ajuda no controle do peso”.

Potencial explorado em Ribeirão Preto

Todas essas vantagens foram percebidas e assimiladas pelo mercado mundial. São várias as empresas e os restaurantes que reformularam seus cardápios e passaram a oferecer alimentos mais saudáveis: com alimentos 100% integrais, com menos glúten e sem adição de açúcar.

A Ruecler Take Away (RTA) já nasceu dentro dessa nova lógica. Criada em 2016 no interior do estado de São Paulo, em Ribeirão Preto, a empresa passou por um longo processo de desenvolvimento até ter sua primeira loja inaugurada no município em novembro de 2019.

“A RTA foi criada já com o objetivo de trazer ao consumidor opções de produtos panificados para uma alimentação mais equilibrada e saudável”, conta Guilherme Cochoni, gerente da marca.

Contando com um mix de produtos sem utilizar refinados, açúcar e optando em oferecer uma linha 100% integral, a empresa tornou-se pioneira na produção deste tipo de alimentos com variedades de pães de doces.

“Nossa ideia sempre foi a de trazer diversidade de texturas e sabores, porque assim se pode comer algo diferente sempre”, explica. E, para quem pensa que alimento integral pode ser menos atrativo, a marca prova que suas tecnologias e processos propiciam experiências gastronômicas tão saudáveis quanto instigantes para o paladar.

O portfólio inclui pães, bolachas, cookies, brownies, donuts, tortas de sorvete e outros alimentos do gênero. Todos os produtos possuem alto teor de fibras, reduzido teor de carboidratos, adoçantes de base natural e são ricos em vitaminas e minerais.

“No final, cada cliente tem seu favorito: seja a tartelette recheada com doce de leite cremoso ou uma bolacha crocante coberta com chocolate suíço, ou um pãozinho 100% integral – muito leve e macio”, diz Cochoni.

Para melhorar a experiência desse maior consumo de fibras, a nutricionista Ana Paula Tonissi faz um alerta: não esquecer de beber água.

“Como tudo na vida, é preciso ter um equilíbrio na hora de se alimentar. Se o consumo de fibra é alto, a ingestão de água também deve ser”.

Publicidade:
Anterior YOGA: APRENDA 5 POSTURAS QUE AJUDAM A EMAGRECER COM A AJUDA DA PRÁTICA MILENAR
Próxima Que saudades de gritar “gol” no estádio