Os desafios para identificar talentos em home office

Cenário de trabalho em casa, experimentado por inúmeras empresas, exige habilidades e comunicação assertiva das lideranças, avalia o CEO da Prime Talent, David Braga.

Em um ambiente corporativo, o líder precisa ser aquela pessoa que dá o direcionamento, leva motivação e engaja os colaboradores. No atual cenário de pandemia, em que uma grande parcela dos profissionais está trabalhando no modelo home office, os desafios se mostram ainda maiores.

Entre eles, está adotar novos métodos e apurar a capacidade de observação para conseguir identificar os talentos, uma vez que a gestão a distância deverá permanecer, em diversos casos, mesmo após o fim da necessidade de isolamento social.

O CEO e heahunter da Prime Talent, David Braga, argumenta que  é preciso agir com sabedoria. “É necessário, mais do que nunca, que as lideranças coloquem em prática as soft skills, ou seja, as competências e habilidades – como resiliência, planejamento, comunicação eficaz, orientação para resultados, criatividade – para liderar à distância”, pontua.

Sendo assim, ele ressalta que uma forma de acompanhar os colaboradores e definir promoções na empresa é pelo monitoramento dos resultados, também conhecido como performance. Para isso, o estabelecimento de confiança com os liderados é primordial, além de delegação e observação, na prática, das competências e habilidades.

O olhar atento do líder, portanto, se torna ainda mais relevante. “O comportamento das pessoas, a capacidade de aprendizagem e de adaptabilidade, as entregas realizadas mesmo em um momento de pressão têm sido o grande diferencial. Sabe quem são, usualmente, os profissionais promovidos? Aqueles que estão sempre prontos aos novos desafios, que são ousados, destemidos e que buscam novos conhecimentos constantemente”, detalha Braga, que é especialista na busca e seleção de executivos de média e alta gestão em todos os setores da economia na América Latina.

Nesse contexto, a comunicação é extremamente importante, tanto para alinhar os funcionários sobre os próximos passos da empresa, quanto para receber as informações e sugestões que possam contribuir para o bom andamento do home office, para impulsionar os resultados da corporação e para a identificação dos talentos que vão surgir. “Empresas que proporcionam excelentes canais de comunicação são as mesmas que encontram caminhos alternativos em meio às crises”, pontua o headhunter.

Essa atenção especial dos líderes a todo esse ecossistema também é essencial para garantir que os funcionários continuem a manter suas entregas com eficácia e eficiência. Cabe aos gestores se certificar de que os profissionais têm toda a infraestrutura necessária (boa conexão, computadores e softwares compatíveis às funções e entregas, mobiliário etc.), pois isso pode impactar diretamente na performance. Para identificar esses gaps, as conversas permanentes são fundamentais.

Sobre a Prime Talent

A Prime Talent é uma empresa de busca e seleção de executivos de média e alta gestão, que atua em todos os setores da economia na América Latina, com escritórios em São Paulo e Belo Horizonte. Seu CEO, David Braga, já avaliou, ao longo de sua carreira, mais de 10 mil executivos, selecionando para clientes Latam. Ele tem formação de Conselheiro de Administração pela Fundação Dom Cabral (FDC), possui certificação de Executive Coach pela International Association of Coaching e é practitioner em Micro Expressões e Programação Neurolinguística. Além disso, tem vivência internacional em Trinidad and Tobago, Londres, África e Estados Unidos.

Publicidade:
Anterior ONG lança projeto e leva atividade física ‘virtual’ a idosos na periferia
Próxima Nova queda nos registros de covid-19 provoca incerteza sobre comportamento da pandemia na região