Quando o implante de nestorone é indicado

O nestorone é um hormônio que bloqueia o pico de estrogênio e androgênio. Assim, é utilizado para doenças que dependem desses hormônios para evoluir, como endometriose, adenomiose e miomatose uterina. Por Rodrigo Ferrarese

O implante é uma forma de administrar substâncias no organismo (assim como comprimidos, injeção, etc.). É um pequeno tubo que mede de três a cinco centímetros, preenchido por hormônios que gradativamente (de forma controlada e segura) são liberados na corrente sanguínea.

Alguns hormônios administrados pelo implante trazem efeitos secundários como redução da gordura corporal, aumento da massa magra e melhora da flacidez. Por isso, muita gente os chama de chips da beleza – algo totalmente errôneo, uma vez que não são chips, como não são indicados para esse fim.

Os implantes são majoritariamente usados como método anticoncepcional. No climatério, auxiliam a terapia de reposição hormonal, e também agem no tratamento para doenças como endometriose, adenomiose e miomatose uterina.

Cada paciente recebe uma combinação de hormônios pensada exatamente para ela, a partir de uma consulta detalhada, exames e, claro, o estilo de vida dessa mulher, que é algo sempre a ser levado em consideração.

O nestorone é um hormônio esteróide que bloqueia tanto o pico de estrogênio quanto o de androgênio no organismo da mulher, consequentemente é utilizado para doenças que dependem desses hormônios para evoluir, como endometriose, adenomiose e miomatose uterina. Além disso, inibe a menstruação e seus efeitos colaterais: cólicas intensas, sangramentos excessivos e tensão pré-menstrual.

Durante os primeiros meses de uso do implante de nestorone, algumas pacientes apresentam sangramento irregular.  É bom lembrar que um único implante é suficiente para ter todo o seu benefício e dura, por aproximadamente, seis meses.

Sobre Dr. Rodrigo Ferrarese 

O especialista é formado pela Universidade São Francisco, em Bragança Paulista. Fez residência médica em São Paulo, em ginecologia e obstetrícia no Hospital do Servidor Público Estadual. Atua em cirurgias ginecológicas, cirurgias vaginais, uroginecologia, videocirurgias; (cistos, endometriose), histeroscopias; ( pólipos, miomas), doenças do trato genital inferior (HPV), estética genital (laser, radiofrequência, peeling, ninfoplastia), uroginecologia (bexiga caída, prolapso genital, incontinência urinaria) e hormonal (implantes hormonais, chip de beleza, menstruação, pílulas, Diu…).  Mais informações podem ser obtidas pelo site https://drrodrigoferrarese.com.br/

Publicidade:
Anterior NBA FINAIS: EM ATUAÇÃO DE GALA DE LEBRON JAMES LAKERS BATEM O HEAT E SÃO CAMPEÕES
Próxima IBM, USP e FAPESP dão início às atividades do Centro de Inteligência Artificial para acelerar a ciência e inovação no Brasil