Mais da metade dos brasileiros ignoram os sintomas de artrite reumatoide

Em pesquisa do IBOPE Inteligência, 56% dos entrevistados afirmaram já ter sentido dor constante no mesmo local por mais de três meses; 40% deles se automedicam para resolver o problema

Inchaço, rigidez, aumento da temperatura e vermelhidão nas articulações podem ser sintomas de artrite reumatoide, porém, cerca de 30% dos brasileiros, do universo pesquisado, afirmam que menosprezariam esses sinais e não buscariam ajuda médica. Esses são alguns dos dados da pesquisa “Desmistificando o reumatismo: a percepção dos brasileiros perante a artrite reumatoide e outras doenças de elevado potencial incapacitante”, realizada pelo IBOPE Inteligência a pedido da Pfizer Brasil.

O levantamento, que entrevistou 2 mil pessoas, mostra que a doença reumática rara é alvo de dúvidas entre os brasileiros: 66% dos entrevistados não sabem dizer ou acreditam que a artrite reumatoide e a artrose – outra doença reumática relacionada às articulações – são a mesma enfermidade.

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória e crônica, caracterizada, principalmente, pela inflamação das articulações. Autoimune, a enfermidade faz com que o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de vírus e bactérias, ataque o próprio corpo, comprometendo o seu funcionamento. Já a artrose é o resultado do desgaste da cartilagem que reveste as articulações, um processo natural, parte do envelhecimento1.

Quando perguntados sobre os fatores relacionados ao desenvolvimento das doenças reumáticas, 62% dos entrevistados apontaram erroneamente a falta de cálcio; 61%, o carregamento de peso; e 56%, estar acima do peso corporal saudável. Enquanto apenas 25% e 24%, respectivamente, demonstraram entender que o tabagismo e fatores hormonais estão ligados ao aparecimento da doença. A última condição é justificada pelo fato de a doença acometer três vezes mais mulheres do que homens2, informação também desconhecida pela maior parte das pessoas (51%).

Entre os fatores estudados como motivos da artrite reumatoide estão a predisposição genética e as infecções. Porém, pesquisadores ainda investigam a fundo quais são as causas reais da doença.

Quanto aos sintomas das doenças reumáticas, os mais preocupantes apontados pelos brasileiros foram as dores intensas (61%), seguidas pelo medo de serem impedidos ou dificultados de realizarem seus trabalhos ou programas de lazer, como mostra o quadro abaixo.

Já, quanto às consequências, 64% demonstraram não saber que as doenças reumáticas são capazes de afetar órgãos como o coração e os rins; e 78% não sabiam das suas características incapacitantes, ignorando que a locomoção dos pacientes pode ser comprometida. No caso da artrite reumatoide, quando não tratada, 20% a 30% dos pacientes podem ficar permanentemente impossibilitadas de realizarem suas atividades1.

Para prevenir as deformidades e ter uma vida saudável e com qualidade, a população deve se atentar aos sinais da artrite reumatoide e procurar auxílio médico logo quando aparecem os primeiros sintomas, para obter um diagnóstico precoce e tratamento adequado, mas apenas 47% dos entrevistados que sentiram dor constante, no mesmo local, por mais de 3 meses buscaram a orientação de um médico, dentre estes, apenas 4% procuraram um reumatologista – especialista responsável pelos cuidados da doença. A automedicação é a atitude mais citada para tentar solucionar o problema (40%), acompanhada da postergação do tratamento (13% não buscaram nenhuma solução e permanecem com a dor).

Tratamento

Por se tratar de uma doença autoimune inflamatória crônica, uma vez diagnosticada, a artrite reumatoide deve ser acompanhada e tratada ao longo da vida.

Segundo dados da pesquisa, 54% dos brasileiros não conhecem ou têm visões errôneas sobre o tratamento da artrite reumatoide, negando a possibilidade de existirem diferentes tipos de terapias. “É importante esclarecer que, hoje, graças aos avanços da medicina, o paciente com artrite reumatoide tem mais opções em relação à medicação, podendo escolher pela administração de medicamentos via oral ou injetável. Os tratamentos à disposição do reumatologista, médico especializado em doenças reumáticas, permitem que ele indique aqueles que mais se adaptam ao estilo de vida e características da doença em cada paciente”, explica a Dra. Márjori Dulcine, reumatologista e diretora médica da Pfizer Brasil.

As terapias médicas agem regulando a autoimunidade e reduzindo as inflamações do organismo. Quanto antes forem administradas, melhores serão suas taxas de resposta e, menores, as sequelas da doença.

O levantamento on-line foi realizado na cidade de São Paulo e nas regiões metropolitanas de Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e Porto Alegre, com pessoas maiores de 18 anos, das classes A, B e C.

1. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Artrite reumatoide e artrose (osteoartrite). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/154-artrite-reumatoide-e-artrose-oesteoartrite. Acesso em 07/08/2019

2. SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. Artrite Reumatoide – Cartilha para Pacientes. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2541198/mod_resource/content/1/Cartilha_artriteReumatoide.pdf. Acesso em 07/08/2019

3. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ministério da Saúde centraliza compra de medicamento para artrite reumatoide. Disponível em: http://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42601-ministerio-da-saude-centraliza-compra-de-medicamento-para-artrite-reumatoide. Acesso em 07/08/2019

Grandes Avanços que Mudam as Vidas dos Pacientes

Na Pfizer, usamos conhecimento científico e recursos globais para trazer terapias que prolonguem e melhoram significativamente as vidas das pessoas. Buscamos estabelecer o padrão de qualidade, segurança e valor na descoberta, desenvolvimento e fabricação de produtos para a saúde, incluindo medicamentos e vacinas inovadores. Todos os dias, os colegas da Pfizer trabalham em mercados desenvolvidos e emergentes para o progresso do bem-estar, da prevenção e de tratamentos que desafiam as doenças mais temidas de nossos tempos. Somos uma das maiores empresas biofarmacêuticas de inovação do mundo e é nossa responsabilidade e principal função colaboramos com profissionais de saúde, governos e comunidades locais para promover e ampliar o acesso a cuidados confiáveis e acessíveis com a saúde em todo o mundo. Há mais de 150 anos atuamos para fazer a diferença para todos aqueles que confiam em nosso trabalho. Para saber mais, acesse nosso site: www.Pfizer.com / www.pfizer.com.br , siga-nos no Twitter: @Pfizer @Pfizer NewsLinkedInYouTube e curta nossa página no FacebookFacebook.com/Pfizer e Facebook.com/PfizerBrasil.

Publicidade:
Anterior Um chamado tecnológico para transformar a cadeia alimentar
Próxima Enfrentando o luto diante da pandemia