Nova onda de calor atinge o Brasil na próxima semana


Após vários dias consecutivos de temperaturas amenas, e abaixo da média histórica em pontos do centro-sul do Brasil, uma nova onda de calor tende a atingir grande parte do país na segunda semana do mês de agosto.

Confira a tendência para a segunda semana do mês!

Ondas de calor no Brasil estão relacionadas à atuação de massas de ar quente e seco, ou seja: pouca chuva, rápido aumento nas temperaturas e automaticamente um declínio na umidade relativa do ar.

Os dias tendem a ser bastante quentes em áreas do Centro-Oeste, Sul e Sudeste, com temperaturas máximas que ficam acima da média Clima tológica por dois dias ou mais.

As temperaturas já começam a subir a partir desta sexta-feira (06), seguindo em rápida elevação no final de semana do dia dos pais e atingindo o pico de calor nas capitais do centro-sul e Norte do país entre segunda (09) e quinta-feira (12) da próxima semana.

A previsão é de máxima em torno dos 29°C em Curitiba (PR) entre a terça-feira (10) e a quarta (11), este valor é quase 7°C acima da média climatológica para agosto, igual a 21,5°C. A última vez que a capital paranaense registrou um valor tão alto, foi em 29 de março de 2021 quando também fez 29°C.

Em pleno inverno, a temperatura máxima em Cuiabá (MT) pode alcançar e até mesmo superar a marca dos 40°C no início da próxima semana. Em Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP) a temperatura pode chegar aos 30°C até a próxima quinta-feira (12), o que representa mais de 5°C acima da média histórica para essas capitais neste mês.

Em cidades como Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG), Porto Velho (RO), Campo Grande (MS), Brasília (DF), Goiânia (DF) e Palmas (TO), o calor também tende a ser excessivo na segunda semana de agosto, e os termômetros facilmente ultrapassam os 30°C no período da tarde.

Sobre a Climatempo
Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para segmentos estratégicos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, investiu na instalação do LABS Climatempo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), que atua na pesquisa e desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Em 2019, a Climatempo passou a fazer parte do grupo norueguês StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão, e dois anos depois, em 2021, uniu-se à Somar Meteorologia, formando a maior companhia do setor na América do Sul. A fusão das duas empresas impulsiona a Climatempo a ser protagonista global de fornecimento de dados e soluções para os setores produtivos do Brasil e demais países da América Latina, com capacidade de oferecer informações precisas de forma mais ágil e robusta.

O Grupo Climatempo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.
Anterior 7 dicas para atrair novos clientes para as empresas
Próxima "Descasque mais, desembale menos". Nutricionista da dicas de alimentação saudável para crianças