Saiba como reduzir o impacto da baixa umidade do ar na hora de se exercitar

Com índice de umidade abaixo do recomendado pelo OMS, exercícios precisam ser adaptados, assim como a alimentação
Foto de Yan Krukov no Pexels

O tempo seco faz com que as partículas de poluição fiquem suspensas no ar. No calor, as partículas ficam ainda mais evidentes. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que a umidade do ar esteja entre 45% e 50% para que haja uma prática saudável de atividade ao ar livre.

Além da baixa umidade do ar, a região de Ribeirão Preto também tem enfrentado dias de temperatura elevada. Então, como manter a prática de atividades físicas nas condições adversas?

“Quando a umidade está baixa, aumenta a permanência e a concentração dos poluentes no ar. No exercício, como é preciso de mais oxigênio, inala-se mais poluentes, o que leva à inflamação pulmonar, que se expande para o sistema sanguíneo”, explica o professor do curso de Educação Física da Estácio, Rafael Valente.

Valente explica que a prática de exercícios físicos nos dias de tempo seco pode levar a complicações alérgicas, sangramento pelas narinas, ressecamento da pele, entre outros sintomas. Por isso, a principal dica é adaptar o treino. Se não houver essa possibilidade, o conselho é reforçar a hidratação.

“A prática de atividades como natação, hidroginástica, hidrobike e os demais esportes aquáticos são excelentes alternativas quando a umidade do ar está baixa. Esses tipos de exercícios são os mais recomendados para esta época do ano, pois em um ambiente onde há piscinas, a umidade do ar é maior do que em locais abertos, o que ajuda a diminuir a constante agressão causada pelo ar seco ao sistema respiratório”, explica Rafael Valente.

O profissional de educação física lembra, ainda, que o ideal é evitar atividades físicas entre 10h e 16h. “Certamente, manter-se alimentado de forma saudável contribui para a performance e desempenho nesses dias. O tempo seco não deve desencorajar o exercício físico, mas é recomendável esses cuidados e orientações antes da prática”, alerta o professor.

Cuidados com a alimentação

Nos dias de calor, o consumo de frutas e verduras deve ser ampliado. Professora do curso de Nutrição da Estácio, Camila Morais lembra que, em média, 95% do peso das verduras e frutas é composto por água. Por isso, é recomendado o consumo destes alimentos em maior quantidade nos dias de baixa umidade do ar. Entre os alimentos indicados estão melancia, melão, laranja, água de coco e as folhagens em geral.

“Além da hidratação, esses alimentos garantem boas quantidades de vitaminas e minerais, que ajudam a manter o equilíbrio corporal”, explica.

Para garantir a hidratação, a recomendação é não descuidar da quantidade de água ingerida. A recomendação é que a ingestão diária seja de 30 a 35 ml por quilo. Ou seja, uma pessoa com 60 kg precisa ingerir, em média, dois litros de água por dia, de forma fracionada. “É importante também observar a coloração da urina, que deve ficar bem clara. Urina amarelada indica baixa hidratação”, orienta a nutricionista.

Anterior 7 Dicas para ter uma Smart Home
Próxima Discord: uma plataforma atraente para cibercriminosos