6 maneiras de atrair consumidores e vender mais pela internet e apps

Em período de incertezas econômicas, especialista aponta dicas para investir em diferentes formatos de venda online
Crédito: Freepik
Não há dúvidas de que o as vendas pela internet se tornou uma opção para muitos empreendedores manterem seus negócios em meio à crise. Segundo dados divulgados pelo PayPal Brasil em parceria com a BigDataCorp, as lojas online totalizam 1,59 milhão, um aumento de 22,05% na comparação com 2020.

Pensando nisso, Franklin Bravos, CEO da Signa, startup que já profissionalizou mais de 500 e-commerces no Brasil, elencou dicas de como empreendedores podem investir de maneira prática e rápida em apps e ferramentas na internet que podem ajudar a bombar as vendas. Veja abaixo:

Vendas nas redes sociais

O Tik Tok é um dos aplicativos que se tornou febre no Brasil e no mundo. Com isso, empresas de diferentes portes e segmentos passaram a enxergar o app como um canal de publicidade para atrair clientes e potencializar as vendas, principalmente, no comércio eletrônico.

Segundo Bravos, os lojistas devem estar atentos a novas e criativas estratégias para agregar valor à operação, usando a sua base de clientes com inteligência para gerar mais vendas e oferecer uma experiência ainda melhor para estes consumidores, sem necessariamente fazer grandes investimentos em publicidade e marketing.

“Com o Tik Tok é possível produzir vídeos curtos, com ferramentas de edição que oferecem. Além disso, o app oferece um alcance muito grande e consegue fazer com que os conteúdos cheguem a pessoas que não seguem o perfil. Assim como no Instagram, que também é muito utilizado para vender e hoje já oferece novas funcionalidades que trazem mais engajamento em consequência futuras vendas.

Vendas pelo WhatsApp

Outro app bastante usado, é o WhastApp, app que salvou muitas empresas em 2020 durante o primeiro ano de pandemia – principalmente as que tinham lojas físicas e tiveram que fechar por conta do isolamento social. Para Bravos, a venda ativa pelo whats pode ser uma ótima oportunidade para empreendedores que atuam no varejo.

“Por mais que o contato seja direto pelo whatsapp é preciso humanizar essa comunicação e criar padrões de atendimento. Não basta apenas disponibilizar promoções exclusivas para serem enviadas para clientes via Whatsapp, isso pode ser um tiro no pé. Uma dica é trabalhar conteúdos simples neste canal. A ideia principal é usar o whatsapp para fidelizar o cliente, criando um vínculo com ele para estimular por meio da fidelização, a recompra dos produtos. Apostar em datas como Black Friday e Natal, é uma ótima oportunidade para quem quer começar”, explica.

Vendas por streaming

Outro meio de vender pela internet, são as lives commerces, uma estratégia que usa a interação proporcionada pelo streaming de lives para propiciar e alavancar vendas. De acordo com Bravos, a grande vantagem dessa modalidade é a interação da transmissão ao vivo.

“Esse tipo de venda possibilita que vendedor e consumidor tenham uma maior proximidade, o que resulta em um maior engajamento e, consequentemente, maior conversão. As marcas e os sites convidam vendedores treinados, influenciadores e blogueiros para chamarem atenção em torno dos produtos anunciados”, completa o CEO.

Anúncios e estratégias de marketing

“Através da análise combinada de KPIs das redes sociais, incluindo conteúdo orgânico e anúncios, dos números de conversão de leads e vendas é possível monitorar se uma estratégia de marketing está surtindo efeito. É um meio que pode colaborar para marcas que atuam no varejo, ajudando a atrair novos consumidores utilizando os dados e as redes sociais”, explica.

De acordo com levantamento da EY-Parthenon, realizado com 300 PMEs brasileiras, 58% das pequenas e médias empresas que atuam no Brasil esperam utilizar mais canais de vendas online e 66% planejam expandir o marketing digital após o fim da pandemia.

Vendas em lojas virtuais

Para quem quer vender mais, uma dica é apostar em ferramentas e tecnologias que ajudam a otimizar o checkout das vendas, afinal, processos rápidos evitam carrinhos vazios. Só para se ter uma ideia, no Brasil a taxa média de abandono do carrinho de compra é de 82%. Pensando nisso, é necessário criar alternativas para que os clientes não desistam das compras. “Uma dica para turbinar o e-commerce é oferecer diversas opções de pagamento, assim como disponibilizar cupons de descontos, fretes grátis, entre outras ações que ajudem a fidelizar esse cliente.Encurtar o processo de compra também é importante. Os clientes aproveitam para pesquisar preços e buscar promoções. Sugerimos não oferecer cadastros exaustivos, com muitos passos, já que isso pode fazer com que o consumidor se distraia e deixe a compra para outra hora”, comenta Bravos.

Chatbots virtuais nas vendas

As vendas por plataformas virtuais foram a alternativa encontrada por muitos empreendedores durante a crise e esse mercado continua crescendo. Segundo um levantamento da Ebit | Nielsen, o marketplace é responsável por 78% do faturamento do setor de vendas online.

De acordo com Bravos, gerenciar um negócio no mundo online não é uma tarefa simples, por isso, muitos marketplaces oferecem tecnologias que podem ajudar os vendedores no dia a dia.

“É o caso dos assistentes virtuais, que já estão presentes em vários sites e também nos marketplaces, essa tecnologia funciona como uma espécie de assistente que se comunica e interage com as pessoas com mensagens de texto automatizadas auxiliando os usuários a entender descrições de produtos, realizar pesquisas ou, simplesmente, oferecer algum suporte. A incorporação de novos recursos, como o uso de inteligência artificial, pode simplificar ainda mais a operação, simplificando processos e refletindo nas vendas desse lojista”, finaliza.

Sobre a Signa

Fundada em 2005 na cidade de Blumenau/SC, a Signa é uma empresa de soluções digitais e uma das principais especialistas na plataforma de e-commerce Magento do Brasil. Por muitos anos, o foco da Signa foi o desenvolvimento de e-commerces em projetos sob demanda e nomes como Melissa, Rider, Ipanema, Tigre, Fiat e Brandili já fizeram parte do seu portfólio. Nos últimos anos, lançou o Signashop, uma solução para quem deseja ter uma loja virtual de qualidade, com um investimento justo. Além do Signashop, que atualmente é o principal produto da empresa, a Signa está em um abrangente processo de expansão. O espaço físico foi ampliado, assim como o quadro de funcionários. O leque de produtos, serviços e soluções também foi estendido.
Anterior “Eternos”, o novo filme da Marvel está em cartaz no Centerplex Cinemas do North Shopping Barretos
Próxima Mercado de beleza cresce durante a pandemia e Estética In Rio marca a volta dos eventos presenciais do setor