Pets: coceira excessiva pode ser alergia

A coceira excessiva em pets pode ser sintoma de alergia e requer a realização de exames laboratoriais e tratamentos específicos

Crédito da imagem: Melvin Quaresma

Na maioria das vezes, a coceira dos pets não é algo que causa preocupação nos tutores. Porém, quando começa a ocorrer de forma intensa e contínua, o alerta deve ser ativado. É o que afirma a veterinária da DrogaVET, Alessandra Farias, explicando que a constância desse comportamento pode indicar a presença de alguma alergia, comprometendo o bem-estar e a saúde do animal de estimação.

“Os tipos de alergia mais comuns que acometem os pets são a dermatite alérgica por picada de pulga, por alergia alimentar e por atopia. Trata-se de uma reação exacerbada do organismo do cachorro a alguma substância ou ao próprio ambiente, no caso da atópica, e, assim como nós humanos, cada pet reage de um jeito a cada tipo de substância. Então, quando o coça-coça se torna mais intenso é importante investigar” orienta a veterinária.

As causas das alergias em pets são inúmeras. Segundo a profissional, até mesmo os pets que tomam banho semanalmente e fazem uso do secador podem desenvolver alergia por terem predisposição ao ressecamento da pele, por exemplo. “Outro fator preponderante é o estresse. Os cães necessitam de passeios e brincadeiras, já os felinos necessitam de um ambiente rico em distrações, com caixas e obstáculos, por exemplo. A ausência desses momentos de descompressão pode dar origem a alergias e até automutilações”, alerta a Alessandra.

Ao sinal de coceira ininterrupta e lambedura constante das patas ou corpo, a especialista orienta o tutor a visitar um veterinário para identificar a causa do coça-coça. “As alergias, normalmente, são multifatoriais e necessitam de exames clínicos, laboratoriais e acompanhamento médico de médio a longo prazo, para que se possa analisar o contexto e o histórico do paciente, objetivando o tratamento mais compatível ao caso”, detalha Alessandra.

Um aliado do tutor no tratamento de alergias atópicas e dermatites são os medicamentos manipulados. “A manipulação veterinária permite unir matérias-primas que ajudam a tratar as alergias. O uso do fitoterápico com princípios fármacos é um aliado para reduzir os sintomas. Além disso, há opções de fórmulas farmacêuticas manipuladas para cada caso, como: xampus, mousses e loções que diminuem o prurido”, finaliza a especialista.

Sobre a DrogaVET
Foi em busca de soluções no segmento de manipulação veterinária, respeitando integralmente todos os princípios éticos que regem a produção de medicamentos e a sua aplicabilidade aos animais que, em 2004, surgiu a DrogaVET. Atualmente a rede possui 56 unidades, sendo 50 franquias e 4 unidades próprias (Curitiba, Joinville, Balneário Camboriú e Florianópolis).

Mais informações da empresa estão disponíveis no site: https://drogavet.com.br.

Anterior Como funciona o mercado de apostas esportivas?
Próxima O luto a longo prazo: como lidar?